TOP notícias

Brasil: Polícia indicia mãe de Nego do Borel por agressão à enteada e ela desmente acusações

Sociedade Brasileira de Reumatologia desmente fala de Nise Yamaguchi na CPI sobre vacinação

  Sociedade Brasileira de Reumatologia desmente fala de Nise Yamaguchi na CPI sobre vacinação Durante depoimento da CPI da Covid, a médica alegou que pacientes com doenças renais graves não podem ser vacinados. Entidade médica diz que não há contraindicação“A SBR esclarece a população que doenças reumáticas (DR), incluindo artrite reumatoide, espondiloartrites, artrite psoriásica, lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica (esclerodermia), Síndrome de Sjögren primária, miopatias inflamatórias e vasculites não representam, por si só, contraindicação específica para receber qualquer vacina contra a COVID-19”, afirmou a nota.

A Polícia Civil do RJ indiciou Roseli Viana Gomes, mãe do cantor Nego do Borel, pela suspeita de lesão corporal contra a enteada, uma menina de 8 anos de idade. Além da matriarca do cantor, o pai da garota, Alex Alves Gomes, também foi indiciado por suspeita de maus-tratos. Roseli desmente as acusações.

EXCLUSIVO-Investigação no Brasil liga trading americana Freepoint a esquemas de propina

  EXCLUSIVO-Investigação no Brasil liga trading americana Freepoint a esquemas de propina EXCLUSIVO-Investigação no Brasil liga trading americana Freepoint a esquemas de propinaRIO DE JANEIRO (Reuters) - Autoridades do Brasil estão investigando funcionários de alto escalão da comercializadora de combustíveis Freepoint Commodities, sediada no Estado norte-americano de Connecticut, por um suposto envolvimento em esquema de propina ligado à Petrobras que teria funcionado até 2018, apurou a Reuters.

++ Mãe de Nego do Borel nega agressão à enteada: ”Isso é uma tremenda mentira”

Polícia indicia mãe do cantor

As supostas agressões foram registradas pela mãe biológica da criança, na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), no Centro do Rio de janeiro, no dia 24.

O ”Bom Dia Rio” teve acesso a um relatório da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima que detalha a investigação. O documento da DCAV resume os depoimentos tomados até então e apresenta o laudo do corpo de delito feito na criança.

De acordo com o documento, Roseli teria batido na criança em pelo menos três ocasiões, com “chineladas, arranhões e tapas”, além de jogar xampu nos olhos da menina, na hora do banho, de maneira proposital: ”Fez constar o perito que a menina seria vítima de diversas agressões com arranhões, chineladas e tapas, praticadas por diversas vezes, e que a última agressão teria ocorrido no dia 17.”, afirma a DCAV.

William Bonner quebra protocolo e faz apelo ao vivo no Jornal Nacional

  William Bonner quebra protocolo e faz apelo ao vivo no Jornal Nacional EUA- FDA aprova novo remédio para Alzheimer

Aliás, laudo do IML (Instituto Médico Legal), também já havia sido revelado, no dia 24 de maio, data do registro da ocorrência e apontou duas lesões no corpo da garotinha.

++ Justiça concede medida protetiva a Duda Reis e família contra Nego do Borel

O que disse a menina?

Em depoimento, a criança disse que Roseli esfregou uma quantidade de xampu em seus olhos para arder, como forma de castigá-la. O motivo seria porque a menina teria usado o xampu da madrasta, por engano. Além disso, foi agredida com tapas e chineladas.

Mais informações sobre o caso

A criança ficava com Roseli, na ausência do pai, este que tinha a guarda compartilhada com a mãe. Os pais biológicos revezavam a presença da filha quinzenalmente.

Ao retornar para casa após mais uma agressão, a garota resolveu contar o que aconteceu. No entanto, segundo a investigação, após saber que a filha estava em apuros, em vez de protegê-la, o pai a castigou. “Me colocou de pé, de joelhos (…)“, disse a menina, contanto que precisava revezar posições para apanhar.

A última agressão na casa do pai teria ocorrido no dia 17 de maio e resultou em hematomas nos braços.

Já á polícia, o casal desmentiu as informações de agressões.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.

'O dia em que descobri que meu cabeleireiro era meu irmão' .
Andrea Fleck fez descoberta surpreendente após resolver pesquisar passado de seu pai, que tinha sido adotado quando bebê; ouça seu incrível relato no podcast 'Que História!'.Eles imediatamente se tornaram amigos, e os assuntos das conversas no salão aos poucos se expandiram para além do cabelo de Andrea. Eles tinham outros interesses em comum, como as várias dúvidas sobre suas origens familiares e a vontade de pesquisar sobre o assunto. E jamais imaginariam que suas descobertas em exames de DNA mudariam, para sempre, sua relação.

Ver também