TOP notícias

Brasil: Lira defende privatização da Petrobras e nega conversa para mudar diretoria da estatal

O Brasil precisa de um choque de produtividade

  O Brasil precisa de um choque de produtividade A economista que dirigiu o programa de privatizações do governo FHC diz que O ministro Paulo Guedes tem desperdiçado oportunidades, que uma agenda positiva pode ser criada sem dependência do congresso e que a retomada do crescimento exige tornar o estado mais produtivo.MELHORES DA DINHEIRO — Para destravar o nó em que a economia do Brasil se encontra há pelo menos uma década a gente deveria começar por onde? ELENA LANDAU — Atacar o tema da produtividade. A gente dá pouca importância à produtividade. E ela tem vários aspectos. Você pode, por exemplo, ter um ganho geral nessa agenda com a redução do Estado.

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), negou nesta quarta-feira (13) qualquer conversa de bastidor para mudar a diretoria ou política da Petrobras, mas questionou se não seria o caso de privatizar a estatal e discutir a função da empresa no Brasil.

Lira concedeu entrevista à rádio CNN na manhã desta quarta e foi questionado sobre rumores que indicam que as críticas à política da estatal seriam uma tentativa de o chamado 'centrão' --formado por partidos como PP e PL-- mudar a diretoria da empresa.

"Não tem nenhuma conversa de bastidor nem para se mudar a política de preço nem para se mudar a diretoria", afirmou. "Porque foi mudado um pelo outro e a coisa continuou do mesmo jeito. Ali funciona quase que no automático."

Mudança em Lei de Improbidade deve beneficiar partidos na Lava Jato

  Mudança em Lei de Improbidade deve beneficiar partidos na Lava Jato SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A mudança na Lei de Improbidade Administrativa deve anular ações abertas contra quatro partidos envolvidos na Lava Jato nas quais há pedidos de ressarcimento aos cofres públicos de mais de R$ 1 bilhão. O PT, o PP, o PSB e um diretório estadual do MDB são alvos de ações cíveis que pedem a devolução de valores desviados da Petrobras em casos investigados pela operação deflagrada no Paraná. O projeto que altera a Lei de Improbidade Administrativa, porém, estabelece que as legendas só podem ser processadas com base na Lei dos Partidos, de 1995, e não por meio dessa legislação.

O presidente da Câmara afirmou que a discussão gira em torno do "monopólio absurdo do preço do gás e falta de política de investimento energético".

A seguir, afirmou que a empresa é predominantemente pública. "O que existe ali é que há uma política que tem que ser revista, porque ela hoje nem é pública nem é privada completamente, e ela só distribui, escolhe os melhores caminhos para performar recursos e para distribuir dividendos", disse.

"Essa é a pergunta que tem que ser feita: então não seria o caso de privatizar a Petrobras? Não seria a hora de se discutir qual a função da Petrobras no Brasil? É só distribuir dividendos para os acionistas?", questionou.

Neste momento, a jornalista Thais Heredia interveio e lembrou que ela gera empregos e resultados para a companhia. "Ela geraria emprego sendo pública ou privada. Ela geraria emprego do mesmo jeito, talvez até com mais autonomia, se fosse privatizada", defendeu Lira.

Guedes defende vender ações da Petrobras e usar dinheiro no combate à pobreza

  Guedes defende vender ações da Petrobras e usar dinheiro no combate à pobreza Guedes defende vender ações da Petrobras e usar dinheiro no combate à pobreza"Quando o preço dos combustíveis sobe, os mais frágeis estão com dificuldade. Imagine então se eu vender um pouco das ações da Petrobras e der pra eles esses recursos? Não faz sentido o país ficar mais rico e o pobre ficar mais pobre", disse Guedes, em conversa com jornalistas em Washington nesta quarta-feira (13).

"Ah, ninguém quer privatizar porque é um patrimônio do povo brasileiro. Esse é o discurso. E para quem serve ser o patrimônio para o povo brasileiro?", continuou. "Então tem essas discussões que têm que ser feitas. Você não pode prospectar o gás a US$ 2 e colocar no duto a US$ 10. Porque na realidade essa é a discussão."

Lira afirmou ainda que a estatal deixou de investir em infraestrutura para distribuir dividendos. "Nós não queremos desestabilizar a política de preços, nós não queremos desestabilizar a diretoria da Petrobras. Nós queremos informações tranquilas, transparentes, do que acontece, por exemplo, com o gasoduto que foi vendido pela Petrobras por US$ 90 bilhões e esse dividendo não veio para a União."

O presidente da Câmara falou que o presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, terá a oportunidade de responder às questões na Câmara.

Lira também comentou a ida do ministro Paulo Guedes (Economia) ao plenário da Câmara para prestar esclarecimentos sobre a existência de recursos dele em um paraíso fiscal.

Entenda PEC que amplia influência política sobre órgão de fiscalização do Ministério Público

  Entenda PEC que amplia influência política sobre órgão de fiscalização do Ministério Público Entenda PEC que amplia influência política sobre órgão de fiscalização do Ministério PúblicoEspecialistas consultados pela Folha também divergem a respeito da proposta.

Por se tratar de uma convocação, Guedes é obrigado a comparecer, sob pena de cometimento de crime de responsabilidade caso falte sem justificativa adequada.

O deputado tentou amenizar a situação e afirmou que qualquer ministro tem a obrigação de se apresentar ao Parlamento para prestar informações.

"O ministro Guedes já estava convocado em duas ou três comissões. Ele viria à Câmara, como já veio N vezes, para tratar de reforma da Previdência, para tratar de reforma tributária, para tratar de reforma administrativa", disse.

"E agora tem um momento econômico importante no Brasil, com muitos questionamentos, e é importante que, claramente, transparentemente, um ministro convocado pelo plenário ou por qualquer comissão venha ao plenário, se explique."

Ele negou, no entanto, que a convocação represente um enfraquecimento do ministro.

"Qualquer ministro é suscetível e tem a obrigação de ir com tranquilidade prestar informações ao parlamento. O fato de qualquer ministro ir para dar explicações ao parlamento não quer dizer que ele se isole nem que ele perca força", ressaltou. "Ele vai ter que dar explicações. e aí é normal do processo democrático do Brasil."

Lira disse que a data do comparecimento ainda vai ser combinada com Guedes, que está em Washington (EUA).

Guedes, sua esposa e sua filha são acionistas de uma offshore nas Ilhas Virgens Britânicas, conhecido paraíso fiscal, segundo reportagens publicadas no dia 3 por veículos como a revista Piauí e o jornal El País, que participam do projeto do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (o ICIJ). Em 2015, ela tinha US$ 9,5 milhões (aproximadamente R$ 51 milhões, em valores atuais).

No dia 8, o ministro afirmou que a offshore é legal e foi declarada. "Não teve movimentação de trazer dinheiro do exterior, levar dinheiro para o exterior desde que coloquei dinheiro lá", disse o ministro.

Time Petrobras anuncia foco em promessas do esporte olímpico .
Patrocínio da Petrobras ao esporte olímpico brasileiro completa dez anos em 2021"A cada ciclo olímpico, a companhia revisa sua atuação, buscando sempre aliar os resultados do patrocínio ao seu propósito de contribuir para a sociedade. A companhia agradece a dedicação dos 22 atletas de alto rendimento do Time Petrobras 2021, que a cada competição construíram histórias de sucesso e superação. Nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, conquistaram 11 medalhas para o Brasil, encerrando com grande orgulho mais um ciclo olímpico", informou a empresa.

Ver também