TOP notícias

Brasil: 100 milhões de pessoas já estão completamente vacinadas contra a Covid-19 no Brasil

Risco de morte por Covid cresce para idoso italiano não vacinado

  Risco de morte por Covid cresce para idoso italiano não vacinado (ANSA) - O risco de morrer por Covid-19 na Itália é 13 vezes maior para os idosos com mais de 80 anos que não tomaram a vacina contra o novo coronavírus Sars-CoV-2. A informação foi divulgada neste sábado (9) pelo Instituto Superior de Saúde (ISS) no Twitter. Segundo as autoridades sanitárias italianas, a taxa de mortalidade entre os idosos maiores de 80 anos não vacinados é de 129,5 contra 9,8 entre os imunizados por 100 mil cidadãos. A maioria dos casos notificados nos últimos 30 dias no território italiano foi diagnosticada em pessoas não vacinadas. Além disso, a letalidade da Covid-19 cresce com o aumento da idade e é maior em homens a partir da faixa etária de 30 a 39 anos.

Marca foi atingida nesta quarta-feira (13); número corresponde a 62,5% do público-alvo vacinados com duas doses

  100 milhões de pessoas já estão completamente vacinadas contra a Covid-19 no Brasil © Fornecido por RedeTV!

Nesta quarta-feira (13), o Brasil atingiu a marca de 100 milhões de pessoas completamente vacinadas contra a Covid-19. O número corresponde a 62,5% do público-alvo.

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 300 milhões de doses de vacinas já foram distribuídas para todo o país.

O objetivo da pasta é de que até o fim de outubro cheguem mais 51,5 milhões de doses contra a Covid-19.

“Caminhamos muito desde o início da Campanha de Vacinação, mas precisamos avançar ainda mais. Por isso, convido a todos os brasileiros que ainda não tomaram a segunda dose da vacina que volte ao posto de vacinação para completar o esquema vacinal. Só vacinados venceremos o vírus e voltaremos ao nosso normal”, ressaltou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Estudo francês confirma que vacinas anticovid reduzem em 90% risco de hospitalização e morte

  Estudo francês confirma que vacinas anticovid reduzem em 90% risco de hospitalização e morte O estudo francês é o maior em termos de população realizado até agora no mundo. Os autores analisaram os dados de 22 milhões de pessoas de mais de 50 anos e concluíram que os vacinados contra a Covid-19 têm nove vezes menos riscos de serem hospitalizados ou de morrer do SARS-CoV-2 que os não vacinados. A eficácia, que parece valer também para a variante Delta, foi comprovada até cinco meses após a segunda dose da vacina. O resultado foiO resultado foi publicado nesta segunda-feira (11) em dois relatórios da Epi-Phare, um grupo científico que associa a Agência Francesa do Medicamento (ANSM) e o Seguro Saúde Nacional francês (Cnam).

Veja também!

>>>Covid-19: taxa de transmissão no Brasil é a menor desde início da medição

>>>Bolsonaro participa de missa em Aparecida

>>>Operação da PRF em rodovias do país termina nesta terça

Assista aos vídeos e inscreva-se no canal da RedeTV! no YouTube

Infectologista engana ao comparar imunidade de outras doenças com a covid .
Vacina contra o coronavírus deve ser aplicada em pessoas que já foram infectadas pela doençaO pediatra e infectologista Marcio Nehab, do Instituto Fernandes Figueira/Fiocruz, explicou ao Comprova que o poder de mutação da covid-19 e da gripe são maiores que o das outras três doenças.

Ver também