TOP notícias

Brasil: Facebook tira do ar live de Bolsonaro com fake news sobre relação da vacina da Covid com a Aids

Lira: Bolsonaro vai “pagar” caso fala sobre aids não tenha base científica

  Lira: Bolsonaro vai “pagar” caso fala sobre aids não tenha base científica Presidente da República associou vacina contra a covid à aids durante live na 5ª feira (21. out)“Se não tiver nenhuma base científica para isso, ele vai pagar pela declaração”, disse Lira, durante um seminário sobre o agronegócio em São Paulo.

Neste domingo (24), o Facebook tirou do ar uma live de Jair Bolsonaro (sem partido), realizada na última quinta-feira (21). No vídeo, Bolsonaro compartilhou uma mentira a respeito de uma suposta relação entre a vacina contra a Covid e a Aids.

Facebook e Instagram derrubam live em que Bolsonaro associa Aids à vacina da Covid

  Facebook e Instagram derrubam live em que Bolsonaro associa Aids à vacina da Covid Plataformas informam que conteúdo não está disponível e pode ter sido removido; É a primeira vez que isso acontece com uma transmissão ao vivo do presidenteAo acessar as páginas na manhã desta segunda-feira (25), os usuários são informados de que o conteúdo não está disponível e pode ter sido removido.

++ Felipe Neto rebate notícia falsa de apoiadores do Bolsonaro: “Não caia em fakenews”

O vídeo não está mais disponível nas contas do presidente no Facebook e no Instagram. Em nota, um porta-voz do Facebook disse: “Nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas de Covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas”.

++ William Bonner declara que discurso de Bolsonaro teve “tom golpista”

Bolsonaro leu notícia falsa em live

Na live semanal que foi ao ar na quinta-feira, Bolsonaro leu uma suposta notícia alertando que relatórios oficiais do Reino Unido apontam que “vacinados estão desenvolvendo a síndrome da imunodeficiência adquirida “.

“Só vou dar notícia, não vou comentar. Já falei sobre isso no passado, apanhei muito… Vamos lá: relatórios oficiais do governo do Reino Unido sugerem que os totalmente vacinados… Quem são os totalmente vacinados? Aqueles que depois da segunda dose né… 15 dias depois, 15 dias após a segunda dose.. Totalmente vacinados… Estão desenvolvendo Síndrome da Imunodeficiência Adquirida muito mais rápido do que o previsto. Portanto, leiam a matéria, não vou ler aqui porque posso ter problema com a minha live”, afirmou Bolsonaro durante a transmissão, de acordo com o g1. O portal chegou a procurar o Palácio do Planalto, que ainda não se pronunciou.

Relatório da CPI expõe "estratégia macabra" de Bolsonaro na pandemia

  Relatório da CPI expõe Documento descreve que ações criminosas e omissões do governo federal contribuíram decisivamente para o desastre que tirou mais de 600 mil vidas, e que autoridades "assentiram com a morte de brasileiros" na pandemia.Após quase seis meses de trabalho, a CPI da Pandemia foi palco nesta quarta-feira (20/10) da leitura do relatório final produzido pelo senador Renan Calheiros.

Reino Unido desmentiu notícia

Em nota ao g1, o Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido afirmou que a publicação divulgada por Bolsonaro é de um site que propaga ‘fake news’ e teorias da conspiração e garantiu que a história não é verdadeira.

É a primeira vez que o Facebook derruba uma live de Bolsonaro

Segundo apuração da ‘Folha de São Paulo’, é a primeira vez que uma live semanal do presidente é removida das redes sociais. A única vez que Bolsonaro teve uma publicação relacionada à pandemia excluída foi em um vídeo de março de 2020, em que Bolsonaro citou o uso de cloroquina para tratamento da covid-19 e defendeu o fim do isolamento social.

A Folha ainda acrescentou que, apesar de Bolsonaro espalhar desinformação em suas lives semanais e nunca terem sido excluídas, dessa vez a fala do presidente foi considerada taxativa pela empresa.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook , no Twitter e também no Instagram para mais notícias do PaiPee.

CPI defende quebra de sigilo e suspensão das redes de Bolsonaro .
AGU, em nome do presidente, entrou com ação questionando solicitações da comissãoA CPI pediu a suspensão das redes de Bolsonaro depois de o presidente relacionar a vacina contra a covid com o risco de desenvolver aids. Não há evidências sustentando a afirmação. Depois da solicitação da CPI, Bolsonaro entrou com uma ação no STF contestando os requerimentos da comissão do Senado.

Ver também