TOP notícias

Brasil: Saiba quem tem direito ao Auxílio Brasil, o novo programa social do governo

Auxílio Brasil: programa recebe recursos de R$ 9,4 bilhões

  Auxílio Brasil: programa recebe recursos de R$ 9,4 bilhões O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a lei que abre espaço de R$ 9,4 bilhões no orçamento da Seguridade Social para o pagamento, ainda este ano, do Auxílio Brasil. A medida remaneja o saldo do Bolsa Família, que foi extinto e pelo novo programa social do governo. Os recursos são em favor do Ministério da Cidadania. A lei foi aprovada na quinta-feira (11) no Congresso Nacional e ontem mesmo foi sancionada e publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). O benefício começa a ser pago no próximo dia 17, seguindo o calendário do Bolsa Família. Cerca de 17 milhões de famílias receberão um tíquete médio de R$ 217,18.

O Auxílio Brasil começa a ser pago na 4ª feira (17.nov.2021) e deve ser ampliado já a partir de dezembro. Nem todos que ganharam o auxílio emergencial e estão em busca do novo programa social do governo, no entanto, terão direito ao benefício.

Segundo o Ministério da Cidadania, o Auxílio Brasil será pago a todos os brasileiros que estão no Bolsa Família a partir de novembro. São 14,6 milhões de famílias que serão transferidas automaticamente para o novo programa. Ou seja, não precisam fazer um novo cadastro para receber o Auxílio Brasil.

O governo pretende ampliar o número de beneficiários do Auxílio Brasil em dezembro, para 17 milhões de famílias –o equivalente a 50 milhões de pessoas. A ideia, porém, depende da aprovação da PEC dos Precatórios e vai atender quem já está na fila de espera do Bolsa Família.

Veja como saber se receberá o Auxílio Brasil

  Veja como saber se receberá o Auxílio Brasil SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo federal ainda não divulgou um canal oficial para consultar quem vai receber o Auxílio Brasil. Entretanto, quem está cadastrado no Bolsa Família pode confirmar se vai ter direito ao novo benefício por meio dos canais de atendimento da Caixa Econômica Federal, que é o banco responsável pelo pagamento. A consulta pode ser feita pelo aplicativo Caixa Tem, nos terminais de autoatendimento, nas lotéricas, nas agências e em correspondentes Caixa Aqui. As famílias também podem verificar a situação pelo Atendimento Caixa ao Cidadão, pelo telefone 111.

Por isso, nem todos os brasileiros que estão buscando os programas sociais do governo agora serão contemplados pelo Auxílio Brasil neste momento. Quem não ganha o Bolsa Família e estava recebendo o auxílio emergencial, por exemplo, deve ficar sem a ajuda do governo por enquanto.

O espaço fiscal aberto pela PEC dos Precatórios para o Auxílio Brasil é o suficiente para o atendimento dessas 17 milhões de famílias, com um benefício de R$ 400. Para incluir mais pessoas no do novo programa social, o Executivo teria que angariar mais recursos no Orçamento de 2022. Por isso, ainda não há previsão de quando o Auxílio Brasil será pago para as pessoas que estão se inscrevendo agora no cadastro social do governo.

Em nota, o Ministério da Cidadania disse que “é compromisso desta gestão ampliar de forma contínua o alcance das políticas socioassistenciais e atingir, com maior eficácia, a missão de superar a pobreza e minimizar os efeitos da desigualdade socioeconômica”. Segundo a área, o Cadastro Único está sendo modernizado para “aprimorar a porta de acesso dos cidadãos aos programas sociais do Governo Federal, entre eles o Auxílio Brasil”.

Auxílio Brasil será pago nesta quarta (17); saiba baixar o aplicativo

  Auxílio Brasil será pago nesta quarta (17); saiba baixar o aplicativo SÃO PAULO, SP (FOLHARPESS) - Os pagamentos do Auxílio Brasil, novo programa social do governo federal, começam nesta quarta-feira (17) e seguirão o calendário habitual do Bolsa Família. Os saques poderão ser realizados com o cartão Bolsa Família, até a emissão de um novo cartão, e pelo Caixa Tem. Nesta terça (16), a Caixa informou que o aplicativo Auxílio Brasil já pode ser baixado no celular. Por ele será possível consultar se irá receber o benefício, a data de pagamento e o valor. Para aparelhos Android, busque por Auxílio Brasil CAIXA. Clique em "Instalar" e siga as orientações. Segundo a Caixa, também será possível obter as informações pelo aplicativo Caixa Tem.

Para saber se terá direito ao novo programa social do governo, o brasileiro pode baixar o aplicativo do Auxílio Brasil ou telefonar para a central de atendimento da Caixa Econômica Federal, pelo número 111.

Novos inscritos

Para tentar entrar no Auxílio Brasil ou em outros programas sociais do governo nos próximos meses, é preciso se inscrever no Cadastro Único, o CadÚnico –cadastro que reúne informações sobre as famílias brasileiras que vivem em situação de pobreza e extrema pobreza.

A inscrição no CadÚnico é feita presencialmente nos pontos municipais de atendimento do SUAS (Sistema Único de Assistência Social), normalmente os CRAS (Centros de Referência de Assistência Social), os postos de atendimento do Cadastro Único e do extinto Bolsa Família.

Depois de inscrita, a família precisa manter os dados atualizados no CadÚnico. A inscrição é um requisito para entrar no Auxílio Brasil, mas não é garantia de recebimento do benefício.

Auxílio Brasil toma o lugar do Bolsa Família sob críticas e incertezas

  Auxílio Brasil toma o lugar do Bolsa Família sob críticas e incertezas Programa social que começa a ser pago nesta quarta-feira vai repassar 400 reais mensais a 14,5 milhões de famílias. De acordo com o presidente da Caixa, transição para o novo benefício será automáticaA operacionalização do programa é feita pelo Ministério da Cidadania e o DataPrev, que todos os meses farão uma reavaliação do programa. A Caixa, responsável somente pelo pagamento do benefício, disponibilizou dois aplicativos, o do Caixa Tem e do próprio Auxílio Brasil, através dos quais os beneficiários poderão consultar o benefício e as parcelas.

“A inscrição no Cadastro Único não resulta na imediata concessão de benefícios que utilizam a base de informações desse banco de dados. A seleção e o atendimento da família ocorrem de acordo com critérios e procedimentos definidos pelos gestores e pela legislação específica de cada um deles. No Auxílio Brasil, por exemplo, serão priorizadas famílias a partir de critérios baseados num conjunto de indicadores sociais capazes de estabelecer com mais precisão as situações de vulnerabilidade social e econômica”, disse o Ministério da Cidadania, em nota.

O Auxílio Brasil é voltado às famílias que vivem nas linhas de extrema pobreza e pobreza, que tiveram os valores reajustados pelo governo para R$ 100 e R$ 200, respectivamente. Além disso, as famílias precisam cumprir algumas condicionalidades, como o acompanhamento da vacinação infantil e da frequência escolar das crianças.

Valores

Neste primeiro momento, o Auxílio Brasil reajustará os benefícios do Bolsa Família em 17,84%. O aumento corresponde à correção pela inflação do benefício, que está congelado desde 2018. Por isso, o benefício médio será de R$ 217,18.

O benefício de R$ 400 solicitado pelo presidente Jair Bolsonaro deve ser pago só a partir de dezembro, pois depende da aprovação da PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios. Para chegar a este valor, o governo pretende pagar um benefício complementar ao Auxílio Brasil, que será transitório, até dezembro de 2022.

Deputados pressionam por Auxílio Brasil maior do que o previsto pelo governo, e votação é adiada de novo .
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - As mudanças no Auxílio Brasil em discussão pelo Congresso devem pressionar a verba para o programa social mesmo se o governo conseguir garantir um orçamento de quase R$ 86 bilhões para o próximo ano. O Auxílio Brasil, que substitui o Bolsa Família, foi criado por MP (medida provisória) editada em agosto e precisa ser aprovado pelo Congresso até 7 de dezembro. A Câmara adiou novamente a votação do texto nesta quarta-feira (24) após uma disputa entre o governo e o relator da proposta, deputado Marcelo Aro (PP-MG). Aro apresentou a líderes da Câmara uma versão que alteraria pontos do programa social com a marca do presidente Jair Bolsonaro.

Ver também