TOP notícias

Brasil: PIB do Brasil recua 0,1% no terceiro trimestre

Postos de trabalho na economia criativa crescem no Brasil, aponta estudo

  Postos de trabalho na economia criativa crescem no Brasil, aponta estudo Segmento fechou setembro deste ano com aproximadamente 7,1 milhões de trabalhadores alocados, um total de 868,3 mil postos a mais do que 2020Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

RIO DE JANEIRO, RJ, E SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A economia brasileira recuou 0,1% no terceiro trimestre de 2021, frente aos três meses imediatamente anteriores, apontam dados do PIB (Produto Interno Bruto).

O resultado foi divulgado nesta quinta-feira (2º) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A variação veio um pouco abaixo das expectativas do mercado financeiro. Analistas consultados pela agência Bloomberg projetavam estagnação (0%).

O desempenho ocorre em meio a um contexto de escalada da inflação, juros mais altos e fragilidades no mercado de trabalho, que dificultam a recuperação da atividade econômica.

Abate de frangos e suínos no Brasil registra recorde, diz IBGE

  Abate de frangos e suínos no Brasil registra recorde, diz IBGE SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O país registrou recordes nos abates de frangos e de suínos no terceiro trimestre deste ano, segundo informações divulgadas nessa quarta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o IBGE, foram abatidos 13,72 milhões de suínos e 1,54 bilhão de frangos no país no período, os maiores patamares desde o início da pesquisa, em 1997. As informações são da Agência Brasil. O abate de suínos foi 4,5% maior do que o registrado no trimestre anterior e 7,8% a mais na comparação com o terceiro trimestre de 2020.

Projeções sinalizam que o PIB brasileiro deve fechar o ano de 2021 com crescimento, associado em grande parte à base de comparação deprimida —em 2020, a pandemia causou queda histórica do indicador.

A questão é que, diante dos recentes sinais de fraqueza da economia, o cenário ficou mais complicado para 2022, ano de eleições, indicam analistas.

Segundo o boletim Focus, divulgado pelo BC (Banco Central), o mercado financeiro projeta avanço de 4,78% no PIB de 2021. A estimativa vem sendo revisada para baixo nas últimas semanas. Em 2022, a alta deve ser reduzida para 0,58%, conforme a publicação. Já há instituições financeiras que preveem queda no próximo ano.

A piora das expectativas econômicas vem no embalo da pressão inflacionária, que reduz o poder de compra dos consumidores, e do aumento das incertezas na área fiscal.

PIB do Brasil deve ficar entre estagnação e recessão em 2022

  PIB do Brasil deve ficar entre estagnação e recessão em 2022 SÃO PAULO, SP, E RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Após a queda de 0,1% do PIB (Produto Interno Bruto) no terceiro trimestre de 2021, a expectativa da maior parte dos analistas é de uma economia ainda estagnada de outubro a dezembro deste ano. Para 2022, há dúvidas entre um cenário de crescimento muito fraco ou até de recessão. Entre os fatores mais importantes para o próximo ano estão a intensidade do aumento dos juros, a continuidade da reabertura das atividades econômicas e o ambiente eleitoral, que costuma gerar incertezas.

As dúvidas de analistas sobre o rumo das contas públicas cresceram após o governo federal colocar em xeque o teto de gastos para pagar o Auxílio Brasil, o substituto do Bolsa Família.

CÁLCULO DO PIB

Produtos, serviços, aluguéis, serviços públicos, impostos e até contrabando. Esses são alguns dos componentes do PIB (Produto Interno Bruto), calculado pelo IBGE, de acordo com padrões internacionais. O objetivo é medir a produção de bens e serviços no país em determinado período.

O indicador mostra quem produz, quem consome e a renda gerada a partir dessa produção. O crescimento do PIB (descontada a inflação) é usualmente chamado de crescimento econômico.

O levantamento é apresentado pela ótica da oferta (o que é produzido) e da demanda (como esses produtos e serviços são consumidos). O PIB trimestral é divulgado cerca de 60 dias após o fim do período em questão.

Com Brasil em recessão, secretário de Guedes diz que o importante é a 'qualidade' do crescimento .
O PIB recuou 0,1% no terceiro trimestre depois de uma queda de 0,4% nos três meses anteriores; Secretaria de Política Econômica alega que os resultados poderão ser revisados para cima no futuro . Para o órgão chefiado por Adolfo Sachsida, mesmo com a retração na margem, o crescimento de 4,0% em relação ao terceiro trimestre do ano passado mostra a continuidade da recuperação da economia em relação à crise de 2020. “É fundamental distinguir o que é política econômica de fatores climáticos adversos e pontuais da natureza, deve-se ressaltar que se observa a maior crise hídrica em 90 anos de história”, argumenta a SPE.

Ver também