TOP notícias

Brasil: Ômicron: o que se sabe sobre os três casos confirmados no Brasil

Estudos sugerem que ômicron causa menos hospitalizações

  Estudos sugerem que ômicron causa menos hospitalizações Resultados preliminares ainda não foram revisados por pares. Especialistas alertam contra excesso de otimismo, ressaltam que cepa se espalha mais rápido e que cifra de infecções pode sobrecarregar hospitais. © Steve Parsons/Getty Images Um dos estudos registrou diminuição de entre 20% e 25% no tempo de internação entre pacientes com ômicron Dois estudos do Reino Unido sugerem que as infecções com a variante ômicron da covid-19 têm menos probabilidade de resultar em hospitalização, comparadas com a variante delta.

O Brasil confirmou os três primeiros casos de covid-19 causados pela variante ômicron do coronavírus.

De acordo com as informações oficiais, os três pacientes passam bem e estão em isolamento © Getty Images De acordo com as informações oficiais, os três pacientes passam bem e estão em isolamento

Detectada pela primeira vez na África do Sul no final de novembro, essa nova versão do agente infeccioso vem chamando a atenção de especialistas pela quantidade e pela variedade de mutações genéticas.

  • As 4 ameaças que o Brasil tem pela frente na pandemia, na visão dos secretários de Saúde
  • Ômicron: qual a previsão de novas vacinas

Por ora, há suspeitas - mas não confirmações - de que essa variante seja mais infecciosa e consiga "driblar" a imunidade obtida após a vacinação ou a recuperação da covid-19. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera desde a semana passada a ômicron como uma "variante de preocupação", e um dos motivos é porque ela potencialmente possa provocar mais reinfecções.

Ômicron: Maioria das vacinas provavelmente não impedirá infecção, mas pode evitar casos graves

  Ômicron: Maioria das vacinas provavelmente não impedirá infecção, mas pode evitar casos graves Maioria das evidências até agora se baseia em experimentos de laboratório, que não capturam toda a gama da resposta imunológica do corpo. Mas, ainda assim, os resultados são alarmantes, apontam especialistasQuer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Nos últimos dias, a ômicron já foi detectada em todos os continentes. Até o momento, a porção sul da África concentra a maioria dos casos.

Confira a seguir o que já se sabe sobre os três casos confirmados no Brasil.

Primeiro e segundo casos

As notícias de que os primeiros pacientes infectados com a ômicron haviam sido identificados no Brasil começaram a circular no final da tarde do dia 30 de novembro.

A confirmação oficial, feita pelo Instituto Adolfo Lutz e pela Secretaria de Saúde do Governo do Estado de São Paulo, aconteceu algumas horas depois.

Trata-se de um homem de 41 anos e de uma mulher de 37 anos que são missionários na África do Sul e desembarcaram no Aeroporto Internacional de Guarulhos no dia 23 de novembro. Os dois vieram ao país para visitar familiares.

Empresas correm para criar reforço contra ômicron em 100 dias

  Empresas correm para criar reforço contra ômicron em 100 dias Em uma fábrica ao longo de uma rodovia a 32 quilômetros ao norte de Boston, centenas de funcionários da Pfizer se preparam para produzir milhões de doses de uma nova vacina, no que parece cada vez mais ser a próxima fase de combate à Covid-19. Most Read from BloombergZero Taxes, Golf and Beach Houses Create a Crypto Island ParadiseChina Is Building the World’s Largest National Park SystemBoris Johnson’s Furious MPs Worry That His Next Misstep Could Be FatalThe 15 Best Beers We Drank This YearO trabalho na unidade em Andover, Massachusetts, começou no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, assim que a Organização Mundi

Vale destacar aqui que a descoberta da variante ômicron por pesquisadores sul-africanos só aconteceu no dia seguinte (24/11).

Como retornariam à África do Sul no dia 25 de novembro, eles foram até um laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein montado no Aeroporto de Guarulhos para realizar um exame de PCR, que detecta o coronavírus.

Foi justamente esse teste e a análise genética da amostra que deram resultado positivo para a ômicron.

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde de SP, os dois tinham sintomas leves e haviam tomado a vacina da Janssen. Até o momento, eles passam bem e estão em isolamento.

As equipes de vigilância de São Paulo acompanham os dois pacientes e estão entrando em contato com todas as pessoas com as quais eles tiveram contato nesses últimos dias.

A ideia é checar se esses outros indivíduos também foram infectados e isolá-los, para evitar o máximo possível a criação de cadeias internas de transmissão da ômicron no Brasil.

23 pães emblemáticos de todo o mundo

  23 pães emblemáticos de todo o mundo O pão é um alimento básico em todo o mundo e existem inúmeras variedades para descobrir. Aqui, destacamos 23 pães icônicos, incluindo a baguete francesa crocante, a ciabatta italiana rústica, a injera etíope esponjosa, o pão pita macio e fofo e muito mais. Cada pão tem sua própria história, ingredientes, forma, sabor e textura, e todos eles valem a pena experimentar, quer você esteja visitando o país de onde são nativos, ou se você quiser tentar fazê-los em casa. Alguns são

Aeroportos são a principal porta de entrada de novas variantes no país © Getty Images Aeroportos são a principal porta de entrada de novas variantes no país

Terceiro caso

O Governo de São Paulo confirmou no dia 1° de dezembro a detecção do terceiro paciente com a ômicron no Estado.

Trata-se de um homem de 29 anos, que também chegou pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos num voo da Etiópia no dia 27 de novembro.

Ele tinha sido vacinado anteriormente com duas doses da Pfizer.

O homem foi testado no aeroporto, na hora do desembarque, pelo laboratório CR Diagnósticos.

Segundo as informações divulgadas pela Secretaria de Saúde paulista, ele passa bem, não tem sintomas e está em isolamento.

A equipe de vigilância do município de Guarulhos, a cidade de residência dele, está fazendo o acompanhamento do paciente.

Caso suspeito no RJ

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou no dia 1° de dezembro que também investiga um caso suspeito de covid causado pela variante ômicron na cidade.

De acordo com o secretário de Saúde Daniel Soranz, a paciente é uma mulher que veio de Johannesburgo, na África do Sul, e desembarcou na capital fluminense no dia 21 de novembro.

Noruega: festa de empresa com vacinados contamina ao menos 60, com casos suspeitos de ômicron

  Noruega: festa de empresa com vacinados contamina ao menos 60, com casos suspeitos de ômicron Pelo menos 17 pessoas que participaram de uma festa da empresa em Oslo, na Noruega, são casos suspeitos da variante ômicron da Covid-19. Mais da metade dos 100 participantes testaram positivo para o coronavírus e todos estavam vacinados, de acordo com a prefeitura da capital da Noruega. O balanço ainda é provisório e pode aumentar com o avanço dos testes de sequenciamento. "Até agora, 60 pessoas testaram positivo para a Covid-19 nos exames deO balanço ainda é provisório e pode aumentar com o avanço dos testes de sequenciamento. "Até agora, 60 pessoas testaram positivo para a Covid-19 nos exames de PCR, e quatro com os antígenos. Dezessete provavelmente com ômicron, mas isto precisa ser confirmado.

Uma amostra foi enviada para a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), que deve ter um resultado sobre a presença ou a ausência da ômicron nas próximas horas.

O que dizem as autoridades

Após a confirmação dos primeiros casos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou uma nota em seu site dizendo que "a Rede Cievs, ligada ao Ministério da Saúde, deve monitorar os casos de acordo com o sistema de vigilância vigente no Brasil, para avaliação das condições de saúde e direcionamento dos indivíduos aos serviços de atenção à saúde, bem como para adoção das medidas de prevenção e controle da covid-19".

A agência lembra que, desde o dia 27 de novembro, estão proibidos "voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela República da África do Sul, República de Botsuana, Reino de Essuatíni (Suazilândia), Reino do Lesoto, República da Namíbia e República do Zimbábue".

A medida de limitar a entrada de passageiros de países específicos, porém, é criticada por especialistas, uma vez que a ômicron já foi detectada em todos os continentes.

  • Ômicron: por que restringir viagens tem efeito limitado

"Desde a última sexta-feira (26/11), a Anvisa, ao verificar o risco de transmissão da nova variante, já vem atuando para identificar eventuais riscos de sua disseminação no Brasil", finaliza a agência.

Doses de reforço são fundamentais contra a Ômicron, dizem especialistas

  Doses de reforço são fundamentais contra a Ômicron, dizem especialistas Doses de reforço são fundamentais contra a Ômicron, dizem especialistasRaquel Stucchi, infectologista professora da Unicamp e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), lembra que é crucial manter um intervalo de imunização com doses de reforço a cada 6 meses, no máximo 9 meses. Dessa forma, os anticorpos seguem ativos e preparados para combater uma nova invasão da Covid-19 ao organismo humano.

Já a Secretaria de Saúde de SP declarou que faz o acompanhamento das variantes de preocupação, caso de alfa, beta, gama, delta e ômicron, e que "todo e qualquer agravo inusitado é monitorado pela vigilância estadual, seja proveniente de aeroportos ou portos".

Os representantes paulistas ressaltam que "as medidas já conhecidas pela população seguem cruciais para combater a pandemia de coronavírus: uso de máscara, higienização das mãos (com água e sabão ou álcool em gel) e a vacinação".

"Aproveitamos para reforçar a importância da vacinação, principalmente aquelas 3,9 milhões de pessoas que ainda não tomaram a sua segunda dose [em São Paulo], pois somente dessa forma estarão totalmente protegidas", destaca o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

No Brasil inteiro, mais de 17 milhões de indivíduos estão com a segunda dose da vacina que protege contra a covid atrasada.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=ogl2j-_1lXQ

https://www.youtube.com/watch?v=qJn7ZDZwyrk

https://www.youtube.com/watch?v=ytYgVuWSWnM

A subvariante BA.2 pode reinfectar quem já pegou a ômicron? .
Será que quem contraiu a primeira versão da cepa ômicron pode se reinfectar com a BA.2? Quando a variante ômicron começou a se espalhar no final de 2021, ela provocou o maior surto da pandemia de coronavírus. Acreditava-se que a ômicron causava infecções mais leves do que as variantes anteriores, mesmo sendo mais infecciosa. Tanto as pessoas que já haviam se recuperado da covid-19 quanto as vacinadas contraíram a ômicron — mesmo aquelas que receberam uma dose de reforço da vacina anticovid. A subvariante BA.2 pode ser mais contagiosa que a ômicron original, conhecida como BA.1.

Ver também