TOP notícias

Ciência e Tecnologia: Cielo suspende serviços relacionados a transações de pagamento via WhatsApp

‘Eu era 100% Bolsonaro, depois do vídeo sou 500%’: a reação de grupos bolsonaristas no WhatsApp à reunião ministerial

  ‘Eu era 100% Bolsonaro, depois do vídeo sou 500%’: a reação de grupos bolsonaristas no WhatsApp à reunião ministerial ‘Eu era 100% Bolsonaro, depois do vídeo sou 500%’: a reação de grupos bolsonaristas no WhatsApp à reunião ministerialNos dias seguintes à divulgação do vídeo da reunião, bolsonaristas produziram montagens e memes exaltando o presidente, com mensagens como: "Eu era 100% Bolsonaro, mas depois do vídeo dessa reunião, sou 500% Bolsonaro" e "Bolsonaro não foi eleito por se comportar como um lorde, ele foi eleito para meter o pé na porta mesmo e acabar com essa bagunça".

SÃO PAULO (Reuters) - A Cielo comunicou nesta quarta-feira que suspendeu os serviços relacionados a transações de pagamento por meio do aplicativo WhatsApp, do Facebook, após determinações do Banco Central e do Conselho Administrativos de Defesa Econômica (Cade) na véspera.

"Na mesma data da recepção dos comunicados..., a Cielo tomou as providências adequadas e suspendeu os serviços", disse a empresa de meios de pagamentos.

O BC mandou as bandeiras de cartões Visa e Mastercard, que haviam anunciado parceria com o WhatsApp, suspenderem o uso do aplicativo controlado pelo Facebook, para pagamentos e transferências, enquanto avalia eventuais riscos ao funcionamento do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

Em outra frente, o Cade suspendeu a parceria da Cielo com o Facebook, que permitiria pagamentos pelo WhatsApp, alegando que ambas as empresas têm participação significativa do mercado.

A Cielo disse que manterá seus acionistas e o mercado informados sobre quaisquer atualizações relevantes relativas ao tema.

O anúncio da parceria do Facebook com instituições financeiras para execução de pagamentos por meio do WhatsApp foi feito na semana passada.

(Por Paula Arend Laier)

O Brasil na imprensa alemã (22/07) .
Jornais alemães destacam que Bolsonaro está perdendo apoio do empresariado e sofrendo pressão da Europa para conter desmatamento. Mas se perguntam se a pausa na destruição da floresta será realmente duradoura. © Getty Images/A. Anholete Frankfurter Rundschau – Pausa no desmatamento: Bolsonaro cede à pressão – mas até quando? (18/07) Para a imagem do setor mais importante da economia brasileira, é um desastre: segundo um texto na revista científica Science, 20% das exportações de soja e carne para a União Europeia estão "contaminadas" pelo desmatamento.

Ver também