TOP notícias

Meio Ambiente: O que é agricultura sustentável?

Grandes propriedades rurais respondem por 54% do déficit ambiental em São Paulo

  Grandes propriedades rurais respondem por 54% do déficit ambiental em São Paulo Estimativa é de pesquisadores participantes de projeto apoiado pela FAPESP, cujo objetivo é fornecer subsídios científicos para a implementação do novo Código Florestal no Estado Imagem de PxHere Apesar de representarem apenas 3,5% do total de mais de 340 mil imóveis rurais cadastrados em São Paulo, as grandes propriedades agrícolas – com mais de 15 módulos fiscais – respondem por 54% do déficit ambiental do Estado, ou seja, da perda de áreas de reserva natural.

“Agricultura sustentável” é um conceito usado para definir a relação entre agricultura e sustentabilidade

Agricultura sustentável © Fornecido por eCycle Agricultura sustentável

Imagem de Andreas Göllner por Pixabay

Agricultura sustentável é “o manejo e a conservação da base de recursos naturais e a orientação tecnológica e institucional, de maneira a assegurar a obtenção e a satisfação contínua das necessidades humanas para as gerações presentes e futuras. Tal desenvolvimento sustentável (agricultura, exploração florestal e pesca) resulta na conservação do solo, da água e dos recursos genéticos animais e vegetais, além de não degradar o ambiente, ser tecnicamente apropriado, economicamente viável e socialmente aceitável”, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação.

Ex-potência climática, Brasil se afasta cada vez mais de metas do Acordo de Paris

  Ex-potência climática, Brasil se afasta cada vez mais de metas do Acordo de Paris Cinco anos depois de desempenhar papel-chave na assinatura do histórico pacto global para combater as mudanças climáticas, país vê sua imagem arranhada por desmatamento recorde e alta de emissões sob Bolsonaro. © Reuters/U. Marcelino Área de Floresta Amazônica queimada perto de Apuí, no Amazonas, em agosto de 2020 Quando o histórico Acordo de Paris foi assinado por mais de 190 países para reverter a crise climática, em 12 de dezembro de 2015, o Brasil chegava ao fim das longas semanas de reuniões com um papel de destaque.

Em outras palavras, o conceito expressa a necessidade de se estabelecer outro padrão produtivo que utilize, de forma mais racional, os recursos naturais e mantenha a capacidade produtiva no longo prazo.

Sustentabilidade

A palavra “sustentabilidade” está sendo cada vez mais utilizada em todos os setores da economia. No entanto, não existe um consenso quanto à sua real definição. O significado é distinto para diferentes pessoas e revela valores e percepções muitas vezes conflitantes sobre a utilização dos recursos naturais e o desenvolvimento econômico e social.

Dessa maneira, uma definição única e de consenso global, sobre os termos “sustentabilidade”, “desenvolvimento sustentável” ou “agricultura sustentável” é inadequada.

O ex-neonazista que hoje se dedica a 'desconverter' extremistas

  O ex-neonazista que hoje se dedica a 'desconverter' extremistas Recrutado aos 14 anos, Christian Picciolini compartilha há duas décadas sua história na tentativa de mostrar a jovens que existe uma porta de saída de movimentos supremacistas.A história começa em meados de 1987, quando Picciolini tinha 14 anos e fumava maconha em um beco de Chicago. Foi abordado por um homem de cabeça raspada e botas pretas.

Agricultura sustentável no Brasil

No Brasil, alguns pesquisadores deixaram grandes contribuições ao desenvolvimento da agricultura sustentável, uma vez que contestaram o modelo vigente e apresentaram propostas de um novo padrão produtivo.

Em 1976, José Lutzemberger publicou o “Manifesto ecológico brasileiro: fim do futuro?”, onde fez severas críticas à agricultura convencional e propôs uma agricultura mais ecológica e com menos uso de agrotóxicos. Em 1979, Adilson Paschoal lançou “Pragas, praguicidas e crise ambiental'', que recebeu o Prêmio Ipês de Ecologia, concedido pela Fundação Getúlio Vargas, para trabalhos sobre ecologia no Brasil.

O livro mostrou que a utilização de agrotóxicos causa um aumento do número de pragas nas lavouras, já que eles eliminam grande parte dos inimigos naturais presentes no solo e proliferam pragas resistentes às aplicações. Na década de 1980, Ana Maria Primavesi publicou o livro “Manejo Ecológico do Solo”, onde destaca a importância do manejo adequado dos recursos naturais na agricultura. Além disso, seu trabalho contribuiu significativamente para a base científica da Agricultura Sustentável e para o movimento agroecológico brasileiro.

Cortiça: vários usos, muitas possibilidades

  Cortiça: vários usos, muitas possibilidades Muito além da rolha e do quadro decorativo: cortiça é um material versátil, sustentável e cheio de possibilidades Imagem de Gino Crescoli por Pixabay A cortiça é uma das matérias-primas mais ricas, sustentáveis e, infelizmente, subestimadas da natureza. É a casca externa de um tipo de carvalho perene, nativo da região mediterrânea, chamado sobreiro (Quercus suber). O sobreiro demora 25 anos até poder ser descortiçado pela primeira vez. A cortiça obtida dessa primeira extração recebe o nome de virgem, sendo diferenciada do material extraído nas triagens seguintes: a secundeira (segunda extração) e a amadia (terceira extração adiante).

Ainda na segunda metade dos anos 1970, formou-se, na Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo, um grupo de “agricultura alternativa”, termo usado para designar as experiências de contestação à agricultura convencional. O grupo discutia os problemas sociais, ecológicos e econômicos da agricultura convencional e propunha alternativas sustentáveis.

Durante a década de 1980, o movimento da agricultura sustentável ganhou força com a realização de três Encontros Brasileiros de Agricultura Alternativa (EBAAs). De início, as discussões eram focadas em aspectos tecnológicos e na degradação ambiental provocada pela Revolução Verde. No terceiro EBAA, o foco voltou-se às questões sociais da produção, sobrepondo-as às questões ecológicas e técnicas. A partir desse encontro, foram realizados diversos Encontros Regionais de Agricultura Alternativa (ERAAs), nos quais foram incorporados os aspectos socioeconômicos aos ecológicos e técnicos.

No Brasil, as organizações não governamentais exerceram papel importante no desenvolvimento da agricultura sustentável em suas diferentes vertentes, sendo responsáveis pela pressão com relação à criação de políticas públicas no setor. Nesse cenário, surgiram várias ONGs voltadas para a “agricultura sustentável”, termo que foi substituído por “agricultura ecológica”. Atualmente, o termo “agricultura orgânica” é utilizado de forma abrangente, para designar as diferentes vertentes.

Governo libera R$ 1,9 bilhão para deputados em meio a disputa pela Presidência da Câmara

  Governo libera R$ 1,9 bilhão para deputados em meio a disputa pela Presidência da Câmara Medida estava em projeto sobre dívidas da ONU. Novo e PSOL dizem que dinheiro 'extra' é para garantir apoio à candidatura de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara; relator do texto nega.Congressistas de esquerda e de direita dizem que o objetivo da liberação de dinheiro é conquistar apoios para o candidato do Palácio do Planalto à Presidência da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), no começo de fevereiro. O relator da medida, porém, nega.

Esses estudos e eventos despertaram, de um lado, o interesse da opinião pública para as questões ambientais, e de outro, o interesse de agricultores para a adoção de tecnologias mais sustentáveis, fortalecendo o movimento agroecológico no Brasil. A adesão de pesquisadores ao movimento teve desdobramentos importantes na busca por fundamentação científica para as propostas técnicas do sistema agroecológico.

Agroecologia

Geralmente, o termo “agroecologia” é empregado para designar a incorporação de ideias ambientais e sociais aos sistemas de produção. No Brasil, o termo “agroecológico” ou “agricultura agroecológica” faz referência a um segmento da agricultura sustentável, que tem foco nos aspectos sociais da produção.

Porém, seu significado é mais amplo, constituindo-se em uma nova abordagem da agricultura, que integra aspectos econômicos, sociais e ambientais da produção de alimentos. Em resumo, pode-se dizer que a Agroecologia é a base em que foram construídas as principais vertentes de uma agricultura sustentável, como Agricultura Orgânica ou Biológica, Agricultura Biodinâmica e Permacultura.

Fontes: Agricultura sustentável e Agricultura sustentável: uma alternativa ao modelo convencional

Veja também:

  • Expandir agricultura sustentável torna produtores mais resilientes às mudanças do clima´
  • Agricultura de baixo carbono: é o suficiente?
  • O que é agricultura sintrópica?
  • Entenda o que é agricultura regenerativa
  • As consequências do desenvolvimento da agricultura para o meio ambiente

'Alimento para a alma, não só o corpo': a produção agrícola das 80 roças indígenas na maior cidade do Brasil .
Demarcação de terras em 2016 permitiu aos guarani de Marsilac e Parelheiros voltar a plantar; quatro em cada dez agricultores são mulheres.Mas o município guarda dentro de seus limites cerca de 30% de território com características rurais, além de 14 aldeias da etnia Guarani, localizadas em duas terras indígenas: Jaraguá, próxima ao pico de mesmo nome, na região Noroeste da cidade, e Tenondé Porã, no extremo Sul.

Ver também