TOP notícias

Meio Ambiente: Carne de caça: o que é e seus impactos

Chimpanzé: características e estado de conservação

  Chimpanzé: características e estado de conservação O chimpanzé é um mamífero onívoro da espécie Pan troglodytes, mas que divide cerca de 98% dos genes com os seres humanos. Por isso, há quem acredite que esses animais deveriam ser pertencentes à espécie Homo. Nativos da África, o chimpanzé é um animal extremamente inteligente e social que foi declarado ameaçado de extinção em 1996. É estimado que existam apenas cerca de 100 a 300 mil chimpanzés na natureza, tendo como predadores os humanos e leopardos. Existem quatro subespécies de chimpanzés: ocidental, oriental, central e o Nigéria-Camarões. Na natureza, esses animais só podem ser encontrados na África.

A carne de caça é qualquer carne derivada da caça (legal ou ilegal) de animais selvagens, ou seja, que não vivem em fazendas da agropecuária. Consideradas carnes exóticas, o mercado da carne de caça, mesmo ilegal em diversas partes do mundo, ainda prospera.

  Carne de caça: o que é e seus impactos © Fornecido por eCycle

No Brasil, a única caça esportiva que é legalizada é a do javali, uma espécie considerada invasora. Porém, a legislação impede qualquer tipo de material derivado da caça esportiva de ser comercializado, incluindo a carne de caça. Isso significa que nenhum tipo de comércio de carne de caça é legalizado no país.

Em outros países existem regras similares. Nos Estados Unidos, por exemplo, embora a caça esportiva de diversas espécies seja legalizada, sua venda é proibida. Entre as carnes de caça mais famosas, estão jacaré, cervo, javali, búfalo e bisão.

Cacá Bueno e Ricardo Baptista buscam título do Endurance Brasil

  Cacá Bueno e Ricardo Baptista buscam título do Endurance Brasil Cacá Bueno e Ricardo Baptista partem para a última etapa da temporada 2021 do Endurance Brasil, as 4 Horas de Goiânia, em busca do título na divisão GT3 e também com chances matemáticas na geral. A dupla, que corre com um Mercedes AMG GT3, aparece na terceira posição do campeonato, 85 pontos distante dos líderes. … Continued O post Cacá Bueno e Ricardo Baptista buscam título do Endurance Brasil apareceu primeiro em Racing Online.

Enquanto grande parte da população que consome essa carne faz para garantir seu próprio sustento, ainda existe uma porcentagem que faz por prazer. De acordo com o Washington Post, grande parte das pessoas que consomem carne de caça na Tailândia tem entre 18 a 30 anos e uma renda mensal alta, ou seja, não utilizam da caça para se sustentar.

Impactos ambientais

Além da perda de biodiversidade, a carne de caça apresenta outros riscos para o meio ambiente. Um estudo publicado no Phys.org alega que o problema deveria ser tratado da mesma forma que o desmatamento por conta de seus impactos na sustentabilidade global.

Isso acontece por conta da velocidade em que a caça vem sendo feita — caçadores abatem os animais mais rápido do que sua reprodução, o que afeta diretamente a cadeia alimentar. Além disso, até mesmo a caça de subsistência (onde a carne de caça é usada para o próprio sustento) apresenta consequências negativas para a conservação de biodiversidade em alguns países.

China derruba embargo, mas veta 100 mil toneladas de carne estocadas no Brasil

  China derruba embargo, mas veta 100 mil toneladas de carne estocadas no Brasil Empresas brasileiras estocaram lotes que já tinham sido negociados; destino ainda é incertoA associação afirma que cerca de 100 mil toneladas do produto que estavam estocadas ficam sem destino. A estimativa de estoque é da Consultoria Safras & Mercado.

A pegada de carbono da caça também é negligenciada quando o assunto são seus impactos ambientais. Como grande parte da caça não é de subsistência, e sim derivada do âmbito esportivo, muitos dos caçadores viajam para caçar, contribuindo para as emissões de carbono.

Apesar de proibida em muitos países, a comercialização da carne de caça é legalizada em muitos locais, incluindo na Europa. Portanto, a sua exportação também contribui para essas emissões, aumentando mais ainda a pegada de carbono da caça.

É estimado que cerca de 70% dos mamíferos protegidos pela Convenção sobre a Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres (CMS) sejam usados para o consumo de carne de caça.

Impactos na saúde

De acordo com um relatório da ONU, a carne de caça e outras ações humanas são fortemente associadas aos surtos de doenças zoonóticas, como a Ebola, Sars (Síndrome respiratória aguda grave) e a varíola dos macacos.

China retoma importação de carne bovina brasileira

  China retoma importação de carne bovina brasileira Suspensão dos embarques havia sido adotada voluntariamente pelo Brasil em setembro após a identificação de dois casos atípicos de 'mal da vaca louca'A Administração-Geral de Alfândegas da China (Gacc, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira, 15, que liberou a importação de carne bovina do Brasil. Em nota, o Ministério da Agricultura brasileiro informou que a certificação do produto e os embarques serão retomados já a partir desta quarta.

A própria Covid-19 tem duas possibilidades de causa, sendo elas o consumo ilegal de morcegos ou pangolins. Isso evidencia a capacidade de contágio dessas doenças, que podem se alastrar pelo mundo todo e criar uma pandemia onde milhões de vidas são perdidas.

Ilegalidade

A carne de caça é um dos maiores motivos que contribuem para a popularidade da caça, tanto legal ou ilegal. Esse caso é comumente exemplificado pela população de primatas. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), mais de 22 mil espécies de primatas foram perdidos pelo comércio ilegal entre 2005 e 2011, sendo 64% deles chimpanzés.

Já na Tailândia, onde parte do consumo de carne de caça é ilegal e não é de subsistência, muitas florestas carecem de animais selvagens. Por isso, a caça ilegal contribui diretamente para a perda de biodiversidade local.

Esses animais são essenciais para o equilíbrio do ecossistema, seja para a polinização ou dispersão de sementes. Porém, mesmo com diversas campanhas para a conservação e não consumo da carne de caça, a atividade continua a crescer cada vez mais.

O que são as “perdas e danos” das mudanças climáticas? .
Por Preety Bhandari, Nathaniel Warszawski, Deirdre Cogan e Rhys Gerholdt em WRI Brasil - O planeta já está 1,1°C mais quente devido a alterações climáticas induzidas pelos humanos, e milhões de pessoas já enfrentam consequências reais do aumento das temperaturas, da elevação do nível dos oceanos, de tempestades mais severas e de chuvas que escapam às previsões meteorológicas. Uma redução rápida das emissões é essencial para conter o aumento da temperatura e garantir um futuro mais seguro para todos. Também são essenciais investimentos capazes de proteger as comunidades dos impactos cada vez mais severos que continuarão piorando com o tempo.

Ver também