TOP notícias

Mundo: Coreia do Norte lança dois novos mísseis e acelera testes militares

Retrospectiva 2021: Do sonho do título ao destaque na base: o ano do Brasil nas motos

  Retrospectiva 2021: Do sonho do título ao destaque na base: o ano do Brasil nas motos Eric Granado, Diogo Moreira, Meikon e Ton Kawakami foram os quatro pilotos que defenderam a bandeira brasileira no motociclismo no exterior em 2021Veterano do quarteto brasileiro, Granado encarou a terceira temporada na Copa do Mundo de MotoE com a equipe malaia SRT. Aos 25 anos, o brasileiro chegou à etapa final do campeonato com chances de título e carregando na bagagem duas vitórias e um segundo lugar, além de quatro poles.

A Coreia do Norte lançou nesta segunda-feira (17) dois novos projéteis que são, provavelmente, mísseis balísticos, segundo as autoridades sul-coreanas. Este é o quarto teste que o regime realiza desde o início do ano, aumentando as preocupações da comunidade internacional sobre as ambições militares do regime norte-coreano.

  Coreia do Norte lança dois novos mísseis e acelera testes militares © via REUTERS - KCNA

A Coreia do Norte acelerou nas últimas semanas os testes de armamentos, o que mostra a intenção do governo de reforçar suas capacidades militares apesar de o país ser alvo de várias sanções internacionais. Os dois "mísseis balísticos de curto alcance" foram lançados de um aeroporto perto de Pyongyang, antes das 9h no horário local, e percorreram 380 quilômetros a uma altitude de 42 quilômetros, de acordo com as Forças Armadas da Coreia do Sul.

Biden e autoridades dos EUA defendem resposta à pandemia apesar de recorde de casos de Covid-19

  Biden e autoridades dos EUA defendem resposta à pandemia apesar de recorde de casos de Covid-19 Biden e autoridades dos EUA defendem resposta à pandemia apesar de recorde de casos de Covid-19WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e importantes autoridades de saúde do país defenderam, nesta terça-feira, a resposta do governo à pandemia, apesar de os casos diários de Covid-19 nos EUA terem atingido um novo recorde, impulsionados em grande parte pela variante altamente contagiosa Ômicron.

A frequência e a diversidade dos testes mostram que a Coreia do Norte "tenta melhorar sua tecnologia e capacidade operacional para realizar ações secretas" e visa "confundir os outros países, para que tenham dificuldade em detectar sinais de que os norte-coreanos preparam um lançamento", declarou o ministro da Defesa sul-coreano, Nobuo Kishi, em uma coletiva de imprensa. "O desenvolvimento da tecnologia da Coreia do Norte em matéria de mísseis não pode ser ignorado pelas forças de segurança do Japão e da região", acrescentou.

Mísseis hipersônicos

O regime norte-coreano também afirmou ter testado com sucesso, nos dias 5 e 11 de janeiro, mísseis planadores hipersônicos. A arma é considerada particularmente sofisticada. O segundo lançamento foi supervisionado pessoalmente pelo líder do país, Kim Jong-un.

Líder da Coreia do Norte pede mais “músculo militar” ao país

  Líder da Coreia do Norte pede mais “músculo militar” ao país Kim Jong Un esteve presente em teste de míssil hipersônicoDesde março de 2020 que o governante não participava oficialmente de um lançamento de míssil. O teste de 3ª feira (11.jan) foi o 2º feito pela Coreia do Norte em menos de uma semana.

Os mísseis hipersônicos podem atingir cinco vezes, ou mais, a velocidade do som. Eles são mais rápidos e de manejo mais simples e dificilmente interceptados pelos sistemas de defesa. Os Estados Unidos investem bilhões de dólares em escudos antimísseis e reagiram na semana passada adotando novas sanções, que Pyongyang qualificou de "provocação."

Esse seria o quarto teste de armas de Pyongyang só neste ano. Na sexta-feira (14), a Coreia do Norte disparou dois mísseis táticos guiados e afirmou que testou mísseis hipersônicos em 5 e 11 de janeiro. Em resposta à série de lançamentos, os Estados Unidos impuseram na semana passada novas sanções ao país que possui armas nucleares - o que Pyongyang alegou ser uma "provocação".

"Direito à autodefesa"

A Coreia do Norte tem o "legítimo direito" à autodefesa, afirmou um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores à KCNA. Apesar das sanções internacionais sobre seus programas de armas, Pyongyang se esforça para modernizar suas forças armadas e recusa a retomada do diálogo com os Estados Unidos, que segue paralisado.

Em uma importante reunião do partido que governa a Coreia do Norte no mês passado, Kim Jong-un prometeu continuar desenvolvendo as capacidades de defesa do país. "Se os Estados Unidos decidirem confrontar a Coreia do Norte, o regime será forçado a reagir de maneira mais firme", declarou um porta-voz do ministério norte-coreano das Relações Exteriores, na sexta-feira.

Em seu plano de defesa divulgado em janeiro de 2021, a Coreia do Norte citou os mísseis supersônicos como uma das suas prioridades. O país também atravessa uma grave crise econômica, agravada pelas sanções e o fechamento de suas fronteiras, imposta em nome da luta contra a Covid-19.  Pyongyang busca impressionar sua população com proezas militares, estimam analistas.

(Com informações da AFP)

EUA oferecem “vias diplomáticas” para Rússia sobre crise na Ucrânia .
Washington rejeita exigência russa de impedir adesão ucraniana à Otan, mas mantem abertura ao diálogo. Conversações entre Kiev e Moscou, mediadas por Alemanha e França, têm início difícil, mas trazem sinais positivos. © BRENDAN SMIALOWSKI/POOL/AFP/Getty Images Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, conversa com repórteres sobre resposta americana a Moscou Os Estados Unidos enviaram uma resposta por escrito às exigências de segurança feitas pela Rússia visando uma possível solução para a crise na Ucrânia.

Ver também