TOP notícias

Mundo: Johnny Depp fará filme de época na França

Anderson Di Rizzi debate liberação de armas no país em 'O Segundo Homem'

  Anderson Di Rizzi debate liberação de armas no país em 'O Segundo Homem' PREVISÃO DO TEMPO | Quarta-feira com nuvens e máxima de 27°C na capital paulista

  Johnny Depp fará filme de época na França © Instagram/Festival de San Sebastián Johnny Depp encontrou trabalho. Embora permaneça persona no grata em Hollywood, ele foi convidado a interpretar o rei Luís XV numa produção francesa dirigida pela cineasta e atriz Maïwenn (“DNA”).

O filme será rodado em locações no Palácio de Versalhes e nos subúrbios de Paris no verão europeu (nosso inverno), mas o enredo está sendo mantido em sigilo.

A produção está a cargo da produtora francesa Why Not Productions (“O Profeta”) e a distribuidora Wild Bunch levará o projeto para o mercado internacional durante o European Film Market, evento de negócios paralelo ao Festival de Berlim, que acontecerá de forma virtual em fevereiro.

14/01/2022 - Imagens do dia

  14/01/2022 - Imagens do dia Galeria de Fotos


Galeria: Confira 14 curiosidades sobre as irmãs Olsen! (Estrelando)

Nascidas em 13 de junho de 1986, Ashley e Mary-Kate Olsen tornaram-se mundialmente famosas quando ainda eram apenas crianças! As gêmeas idênticas se revezavam no papel da divertida Michelle Tanner em Três É Demais e, depois disso, emendaram um filme atrás do outro, sempre trabalhando juntas. Mas a carreira no cinema e na televisão se encerrou em 2004, e desde então as gêmeas tem se dedicado à carreira no mundo da moda. Elas possuem, inclusive, cinco estatuetas da CFDA Fashion Awards, premiação que homenageia as melhores designers de acessórios do ano. A seguir, conheça mais curiosidades sobre as irmãs Olsen!

Luís XV governou a França por 59 anos, de 1715, quando sucedeu seu bisavô Luís XIV aos cinco anos de idade, até sua morte em 1774. Seu reinado terminou em desgraça, com o rei acusado de devassidão e corrupção, legado que passou para seu neto e sucessor Luís XVI, famosamente decapitado durante a Revolução Francesa.

Depp também atravessa uma fase de desgraça pessoal, após as revelações chocantes do processo que moveu e perdeu em Londres em 2020 por se sentir ofendido com uma reportagem do jornal The Sun, que o chamou de “espancador de esposa”. A conclusão do juiz do caso foi que ele realmente praticou violência doméstica contra a ex-mulher Amber Heard.

As repercussões deste julgamento implodiram sua carreira nos EUA. A Warner Bros o descartou da terceira parte da franquia “Animais Fantásticos” – substituindo-o por Mads Mikkelsen. E seu último filme concluído, “Minamata”, de Andrew Levitas, teve o lançamento adiado e repassado para um estúdio independente, que fez uma estreia limitada e constrangida, sem grande repercussão, em dezembro passado.

Apesar disso, a Europa não viu motivos para censurar o ator. Ao contrário. No ano passado, os festivais de cinema Karlovy Vary e San Sebastián decidiram homenagear Depp, sem filmes recentes, com prêmios pelo conjunto de sua obra.

Sua volta ao cinema também deverá marcar sua estreia na língua francesa. O ator morou na França por muitos anos, enquanto esteve casado com atriz Vanessa Paradis, e fala francês, mas, segundo a imprensa dos EUA, com um forte sotaque americano.

'Para conter a crise climática, são necessárias ações', diz ex-ministra francesa .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os discursos dos principais líderes na COP26 não animaram corações e mentes daqueles preocupados em impedir a crise do clima no mundo, pelo menos do ponto de vista da diretora da ONG Oxfam França, Cécile Duflot. Para ela, que foi três vezes eleita deputada e líder do Partido Verde francês e ministra de Habitação e Igualdade de Territórios no mandato de François Hollande (2012-17), são os atos dos governantes que devem ditar o que vai poder ser feito nos próximos anos para reverter o aquecimento global.

Ver também