TOP notícias

Mundo: Barça quer que Ansu Fati "não se lesione nunca mais"; jovem fez 24% dos jogos em dois anos

Real Madrid vence Barcelona na prorrogação e vai à final da Supercopa da Espanha

  Real Madrid vence Barcelona na prorrogação e vai à final da Supercopa da Espanha Real Madrid vence Barcelona na prorrogação e vai à final da Supercopa da EspanhaRIAD (Reuters) - O meio-campista uruguaio Federico Valverde finalizou uma jogada impressionante na prorrogação para dar ao Real Madrid uma vitória por 3 x 2 sobre o arquirrival Barcelona em uma emocionante semifinal da Supercopa da Espanha, nesta quarta-feira.

Xavi Hernández, treinador do Barcelona, ​​participou de uma entrevista coletiva na véspera do jogo contra o Alavés, neste domingo. O treinador do culé falou sobre a situação atual de sua equipe, e a lesão de Ansu Fati foi uma das principais questões a serem questionadas.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O jovem participou de apenas 24% dos jogos do Barcelona nas últimas duas temporadas. Dos 83 jogos da equipe, Ansu Fati participou de apenas 20. Na temporada 2020/21, Fati sofreu uma grave lesão no menisco. Já na atual temporada, o atacante já sofreu quatro lesões.

"Tudo para recuperá-lo mentalmente. Precisamos dele. Ele é um jogador impressionante, capaz de fazer a diferença. Isso afeta a todos nós, mas ele é o principal afetado porque não pode fazer o que gosta. Temos que tentar não nos machucar mais".

"Ele está muito afetado. É uma situação muito difícil. Agora tivemos uma reunião com a família. A prorrogação atrapalhou nossos planos para o tempo que ele teve de jogar. Vamos tentar fazer um plano muito específico para ele, então que ele não se machuque novamente, ele tem que fazer uma recuperação muito forte.", disse o técnico Xavi.

O Barcelona ocupa atualmente a 6ª colocação na La Liga, com 32 pontos, um ponto atrás do Atlético de Madrid, que abre a zona de classificação para a Champions League.

Entenda a crise entre a Rússia de Putin, a Ucrânia e as forças da Otan .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A grave crise no Leste Europeu que opõe a Rússia de Vladimir Putin à Ucrânia e ao Ocidente, representado pela sua aliança militar, a Otan, pode trazer a guerra de volta ao solo europeu. Ao mesmo tempo, as negociações em torno do impasse testam duas décadas de política de Putin e talvez seu futuro político -no poder desde 1999, ele mudou a Constituição e pode tentar ficar no cargo até 2036. O presidente da Rússia, que assumiu sobre as ruínas dos dez anos de crise após o fim da União Soviética, trabalhou um plano geopolítico claro.

Ver também