TOP notícias

Mundo: Ao telefone com Zelensky, Biden reforça apoio à Ucrânia

As tensões na Ucrânia

  As tensões na Ucrânia Putin mostrou ao mundo uma Rússia forte e obrigou os EUA e a Otan a negociarem em termos escolhidos pelos russos . A iniciativa das ações continua em suas mãos, podendo escalar ou desescalar a crise ao seu bel-prazer, para grande infortúnio dos ucranianos, ameaçados há meses por um poderoso exército postado à porta da antiga Rus Kievana, origem primeira da atual Federação Russa. Um nó górdio para os diplomatas ocidentais desatarem nesse início de 2022. CORONEL DE CAVALARIA DA RESERVA SITE: WWW.PAULOFILHO.NET.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reforçou o apoio americano à Ucrânia em meio ao acirramento das tensões com a Rússia. Ele falou por telefone com o líder ucraniano, Volodymyr Zelensky, na 5ª feira (27.jan.2022).

O norte-americano reafirmou a “prontidão dos Estados Unidos, juntamente com seus aliados e parceiros, para reagir de maneira decisiva se a Rússia invadir a Ucrânia”, disse a Casa Branca, em nota.

Biden, segundo o comunicado, “avalia apoio macroeconômico adicional para ajudar a economia da Ucrânia, tendo em vista a pressão resultante do aumento da presença militar da Rússia”.

O presidente reagiu a críticas recebidas pela decisão de recomendar aos americanos em solo ucraniano que deixassem o país, ao assegurar que a embaixada dos EUA em Kiev continuará “aberta e em pleno funcionamento”.

Comitê de ataque ao Capitólio envia carta a filha de Trump

  Comitê de ataque ao Capitólio envia carta a filha de Trump Congressistas solicitaram a "cooperação voluntária" da filha e conselheira do ex-presidente Donald Trump nas investigaçõesO requerimento foi enviado em carta a Ivanka, conselheira do pai durante o mandato, pelo presidente do Comitê, Bennie G. Thompson (Democrata-Mississippi). Eis a íntegra (2 MB, em inglês).

A Rússia está por trás de uma insurgência de separatistas no leste da Ucrânia, que já matou mais de 13.000 pessoas desde 2014, mesmo ano em que Moscou anexou a Península da Crimeia, que era parte do território ucraniano.

A crise entre Moscou e Kiev se agravou nos últimos meses, após o Kremlin enviar milhares de soldados e equipamentos militares à fronteira com o país vizinho, gerando temores de uma invasão.

O norte-americano expressou apoio às negociações entre representantes da Ucrânia e da Rússia, mediadas pela Alemanha e França. As partes envolvidas no conflito no leste ucraniano se comprometeram a implementar um cessar-fogo na região.

Em postagem no Twitter, Zelensky disse que ele Biden tiveram uma “longa conversa”, na qual discutiram “esforços diplomáticos” para o alívio das tensões, além de “ações conjuntas para o futuro”.

Rússia diz que não espera avanço em conversa com EUA sobre crise na Ucrânia

  Rússia diz que não espera avanço em conversa com EUA sobre crise na Ucrânia SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse que não espera "avanços" com seu homólogo americano, Antony Blinken, no início de conversas em Genebra para tentar apaziguar a crise ucraniana. A declaração foi dada em um breve comentário do chanceler na manhã desta sexta (21), antes da reunião dele com Blinken. O comentário de Lavrov recebeu resposta do ministro dos Estados Unidos. "Você está certo.O comentário de Lavrov recebeu resposta do ministro dos Estados Unidos. "Você está certo. Nós não esperamos resolver nossas diferenças hoje. Mas eu espero que possamos testar se o caminho da diplomacia e do diálogo continua aberto.

Ele agradeceu Biden pela assistência militar ao país, e disse que “possibilidades de apoio financeiro à Ucrânia também foram discutidas”.

Formulário de cadastro
Poder360 todos os dias no seu e-mail
concordo com os termos da LGPD.

NORD STREAM 2

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Ned Price, afirmou que o gasoduto Nord Stream 2, entre a Rússia e a Alemanha, não vai avançar se a Rússia invadir a Ucrânia.

“Quero ser muito claro: se a Rússia invadir a Ucrânia, de um jeito ou de outro, o Nord Stream 2 não vai avançar”, afirmou. “Não vou entrar em detalhes. Vamos trabalhar com a Alemanha para assegurar que ele não avance”, acrescentou, sem especificar se o governo alemão concordou com isso.

O controverso gasoduto foi construído com o intuito de dobrar a quantidade de gás natural fornecida pela Rússia diretamente para a Alemanha via Mar Báltico, ou seja, sem passar pela Ucrânia, tradicional país de trânsito e que costuma receber taxas por isso.

Vacilo ocidental ajuda Putin

  Vacilo ocidental ajuda Putin Guerra ficou mais próxima na Ucrânia. Mas não é inevitável. Tudo dependerá da coesão dos aliados ocidentaisO barril de pólvora está armado. Na última semana, mais e mais brigadas russas estacionaram nas fronteiras com a Ucrânia. O governo ucraniano sofreu ataques hackers e há evidências de uma operação engatilhada para permitir à Rússia alegar que suas tropas foram atacadas por Kiev. Os “tambores de guerra” começaram a soar, disse um diplomata americano. Os EUA e seus aliados deixaram claro que não deslocariam tropas para a Ucrânia. Mas foram bem menos claros quanto às sanções para a Rússia. Os esforços diplomáticos para desescalar as tensões falharam.

As obras foram concluídas em setembro do ano passado, mas o gasoduto ainda não começou a operar.

O projeto enfrentou resistência na União Europeia, por parte dos EUA e também da Ucrânia, sob o argumento de que irá elevar a dependência energética da Europa em relação à Rússia.

Price afirmou que, como ainda não há transporte de gás, os EUA e seus aliados têm poder de barganha sobre a Rússia. rc (AFP, Reuters)

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube| WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Bolsonaro diz que Putin é 'conservador' a apoiador que perguntou se líder russo é 'gente da gente' .
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Questionado por um apoiador se o presidente da Rússia, Vladimir Putin, era "gente da gente", o líder brasileiro, Jair Bolsonaro (PL), chamou nesta quinta (27) o mandatário russo de "conservador". Bolsonaro, que visitará a Rússia no final de fevereiro, a convite de Putin, falava com apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, em Brasília. O chefe do Executivo brasileiro disse ainda que, na viagem, buscará "melhores entendimentos" e "relações comerciais". "O mundo todo é simpático a gente.

Ver também