TOP notícias

Mundo: Moçambique: Primeiro-ministro anuncia reestruturação do Instituto Nacional de Segurança Social

Cabo Delgado: Barcos da Proindicus mais úteis no combate ao terrorismo

  Cabo Delgado: Barcos da Proindicus mais úteis no combate ao terrorismo Moçambique recebeu mais dois barcos para tentar conter a entrada de terroristas na costa de Cabo Delgado. Analista considera que melhor seria ter operacionais todos os barcos das "dívidas ocultas", agora em litígio.O Ministério da Defesa de Moçambique acaba de receber dois barcos patrulha vindos da Índia para impedir a entrada de terroristas pela costa norte do país.

O chefe do Executivo moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, reconheceu no Parlamento que o escândalo dos subsídios milionários no Instituto de Segurança Social (INSS) é um desafio à transparência no país.

Provided by Deutsche Welle © Romeu da Silva/DW Provided by Deutsche Welle

O primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, anunciou esta quarta-feira (01.12), no Parlamento, a reestruturação do Instituto Nacional de Segurança Social, depois de os gestores da instituição terem aprovado subsídios de início de funções com valores entre 50 mil e 100 mil euros em benefício próprio.

O chefe do Governo disse que "o atual modelo de gestão desse sistema traz desafios que urge ultrapassar para que este possa cumprir a sua missão de forma eficaz e transparente".

Eleições em Moçambique: Elias Dhlakama critica a RENAMO e o DDR

  Eleições em Moçambique: Elias Dhlakama critica a RENAMO e o DDR Elias Dhlakama pede a convocação imediata do Conselho Nacional da RENAMO para começar já a discutir as autárquicas de 2023. Com críticas ao DDR, o irmão do ex-líder do partido teme o resultado das próximas eleições. © DW/A. Sebastião Elias Dhlakama: Elias Dhlakama pede uma reunião urgente do Conselho Nacional da RENAMO para definir diretrizes sobre as autárquicas, agendadas para outubro do próximo ano. Dhlakama, membro da comissão política nacional e irmão do antigo presidente do maior partido de oposição moçambicana, Afonso Dhlakama, estranha que, nos últimos quatros anos, o Conselho Nacional não se tenha reunido.

"A implementação desta reforma irá permitir clarificar o papel do INSS na gestão do fundo de segurança social obrigatório bem como do Estado na supervisão e fiscalização do sistema nacional de segurança social, através do instituto de supervisão de seguros", garantiu.

Administradores ouvidos em inspeção

Foto ilustrativa: Instituto de Segurança Social em Nampula © DW/S.Lutxeque Foto ilustrativa: Instituto de Segurança Social em Nampula

A ministra do Trabalho e Segurança Social, Margarida Talapa afirmou, por sua vez, que os administradores da Segurança Social estão a ser ouvidos, no âmbito de uma inspeção aos subsídios que os gestores atribuíram a eles próprios, originando críticas em vários quadrantes.

Margarida Talapa falava em resposta a uma pergunta da bancada parlamentar do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro partido, sobre a sustentabilidade dos subsídios de início de função que o novo conselho de administração do INSS aprovou a favor dos seus membros.

Instituto Neymar Jr completa 7 anos e craque relembra influência e projeta retomada em 2022

  Instituto Neymar Jr completa 7 anos e craque relembra influência e projeta retomada em 2022 Projeto Social que atende 3 mil crianças e jovens completa aniversário dia 23 de dezembro; jogador fala sobre simbolismo do número na sua vidaAlém disso, seu primeiro gol como jogador profissional fosse feito vestindo a camisa 7 do clube alvinegro.

"Ordenamos a realização de uma inspeção extraordinária e urgente e no dia 29 [de novembro] recebemos o relatório preliminar, que está no INSS, para o contraditório", declarou Talapa. A governante assegurou que os resultados das averiguações serão tornados públicos.

A propósito da situação, Margarida Talapa disse que os recursos do INSS devem ser geridos com rigor e transparência, porque pertencem aos contribuintes e trabalhadores. "Nada justifica que os recursos dos contribuintes sejam mal usados", acrescentou.

Margarida Talapa © DW Margarida Talapa

Respondendo a uma outra pergunta sobre a carteira de investimentos do INSS, a ministra do Trabalho e Segurança Social avançou que a entidade tem aplicações em contas bancárias a prazo, ações em empresas, imóveis, bem como títulos e bilhetes de tesouro.

"Ninguém consegue travar a roubalheira dos camaradas"

Ivone Soares, deputada da RENAMO, maior partido da oposição, considera que o escândalo do INSS revela que o partido no poder não consegue pôr cobro à má-gestão de fundos públicos.

Sem espaço, Ramon acerta saída do Flamengo para outro clube da Série A

  Sem espaço, Ramon acerta saída do Flamengo para outro clube da Série A Lateral está de saída rumo ao Red Bull Bragantino, por empréstimo até dezembroNo acordo, o Flamengo pode chamar Ramon de volta a qualquer momento. A informação inicial é do site “Uol” e foi confirmada pelo LANCE!, posteriormente. O atleta de 21 anos, inclusive, já compartilha mensagens de despedida de amigos, nas redes sociais.

"Vejam o projeto de luxo dos subsídios do INSS, vejam as dívidas ocultas, ninguém do partido no poder consegue travar a roubalheira dos camaradas", afirmou no Parlamento. "São todos filhos da casa, são camaradas. Todo o esforço honesto dos honestos redunda em pobreza, no entanto, surgem em cada círculo novos atores".

O Governo esteve esta quarta-feira no Parlamento para responder a perguntas das três bancadas parlamentares relativas à situação política, social e económica de Moçambique.

por:content_author: Romeu da Silva (Maputo), Agência Lusa

Expulsão de diplomata moçambicano "é um problema da Somália" .
Analistas ouvidos pela DW consideram que "clivagens internas" entre o Presidente e o primeiro-ministro da Somália levaram à expulsão do diplomata Francisco Madeira. Governo moçambicano promete pronunciar-se em breve. © Chris Stein/AFP/Getty Images Diplomata Francisco Madeira, enviado da União Africana na Somália O diplomata moçambicano Francisco Madeira que era, desde 2015, o representante especial do chefe da Comissão da União Africana (UA) na Somália foi, na quinta-feira, expulso do país.

Ver também