TOP notícias

Mundo: Churrascaria Fogo de Chão volta à Bolsa de olho em redução de dívidas

Botafogo consegue acordo para parcelar R$ 175 milhões de dívidas tributárias e previdenciárias

  Botafogo consegue acordo para parcelar R$ 175 milhões de dívidas tributárias e previdenciárias Alvinegro firma acordo com a PGFN e consegue redução no passivo fiscal de mais de 50%; ao site oficial do clube, CEO Jorge Braga comemorou ação+ Botafogo está perto de contratar dupla ex-Goiás: saiba as contratações, saídas e sondagens do clube

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

A rede de churrascarias Fogo de Chão vai voltar a listar ações nos Estados Unidos, desta vez na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), em oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) prevista para as próximas semanas. O prospecto da operação – documento com informações para o investidor – menciona a intenção de levantar US$ 100 milhões, mas o valor, por ora, é apenas um cálculo de ordem burocrática. Isso porque ainda se discutem o tamanho real da oferta e a sinalização do mercado para o preço do papel.

Fogo de Chão; rede de churrascaria, conhecida internacionalmente pelos seus rodízios, está em 46 cidades dos Estados Unidos e vê potencial para chegar a pelo menos 300 restaurantes no país em 20 anos © Divulgação Fogo de Chão; rede de churrascaria, conhecida internacionalmente pelos seus rodízios, está em 46 cidades dos Estados Unidos e vê potencial para chegar a pelo menos 300 restaurantes no país em 20 anos

A Fogo de Chão, ou “fogo-dee-shoun”, como ensina o prospecto sobre a pronúncia do nome, nasceu no Brasil, mas há tempos não é mais uma companhia brasileira. Fundada em 1979, em Porto Alegre, foi comprada pelos irmãos Jair e Arri Coser, que fizeram do restaurante um dos principais do segmento de carne e churrasco no País, conhecido pelo seu sistema de rodízio.

Dívida leva chinesa Evergrande a vender participação de US$ 575 mi em megaprojeto

  Dívida leva chinesa Evergrande a vender participação de US$ 575 mi em megaprojeto A gigante chinesa do setor imobiliário Evergrande anunciou, nesta quarta-feira (30), que venderá por US$ 575 milhões sua participação em um projeto inacabado perto de Xangai, enquanto busca recursos para pagar suas enormes dívidas. A Evergrande informou hoje que venderá sua participação no Crystal City Project, uma enorme área comercial em Hangzhou, nos arredores de Xangai, por 3,66 bilhões de iuanes. Parte da venda será para pagar 920,7 milhões de iuanes em impostos de construção, detalhou a empresa em um comunicado à Bolsa de Valores de Hong Kong. O restante será usado como "capital de giro geral do grupo", acrescentou a Evergrande.

Ainda sob o controle dos brasileiros, a companhia iniciou a sua expansão internacional, tendo os Estados Unidos como foco, chamando a atenção de investidores. Resultado: depois de anos de negociações com diferentes interessados, ela foi comprada, em 2012, pelo fundo americano Thomas H Lee Partner por um total de US$ 400 milhões.

Em 2015, com a expansão em ritmo mais acelerado, fez IPO na Nasdaq e levantou US$ 88 milhões. Três anos depois fechou o capital, quando foi revendida para o fundo Rhône Capital, por US$ 560 milhões. Agora, quem vai abrir o capital é a Fogo Hospitality, atual dona da rede de churrascaria.

Os recursos do IPO devem ser usados para pagar dívidas da rede, que somavam US$ 296 milhões no começo de outubro, de acordo com o prospecto, um crescimento de 114% na comparação anual.

Em dia volátil com decisão do Fed, Ibovespa oscila, mas fecha em alta de 0,63%

  Em dia volátil com decisão do Fed, Ibovespa oscila, mas fecha em alta de 0,63% Em dia volátil com decisão do Fed, Ibovespa oscila, mas fecha em alta de 0,63%Assim, o Ibovespa fechou hoje em alta de 0,63%, aos 107.431,18 pontos, próximo da máxima do dia, aos 107.603,30 (+0,79%). Na mínima, o índice chegou aos 105.696,96 pontos (-1,00%).

A rede de churrascaria está presente hoje em 46 cidades dos Estados Unidos e vê potencial para chegar a pelo menos 300 restaurantes no país nos próximos 20 anos. Além dos EUA, já fincou bandeira em outros 14 países. No Brasil, são sete restaurantes. Para 2022, o plano anunciado é de abrir de oito a dez restaurantes próprios e “uma ou duas” franquias internacionais.

O IPO é coordenado pelos bancos Morgan Stanley, Bank of America, Jefferies, Raymond James e Credit Suisse. O código de negociação da ação na NYSE será “FOGO”.

Passado negativo

A empresa voltará à Bolsa americana após não ter uma experiência das melhores enquanto as suas ações eram negociadas. A companhia chegou a ter os seus papéis avaliados em quase US$ 22 cada, na época do primeiro IPO, mas nunca voltou a esse patamar durante os quase três anos em que permaneceu no mercado.

Em alguns momentos, a empresa passou a ver o seu valor de mercado cair para 50% do inicial. Perto do momento de fechar o capital, recuperou parte do valor e encerrou a sua primeira passagem na Nasdaq na casa dos US$ 15.

Bolsa recua 1,67% com exterior negativo e cenário local incerto; dólar sobe 0,7%

  Bolsa recua 1,67% com exterior negativo e cenário local incerto; dólar sobe 0,7% Enquanto a pandemia volta a gerar cautela no exterior, por aqui, o investidor teme um aumento nos gastos públicos, especialmente após Bolsonaro falar em reajuste para servidoresUm dia após o tom mais duro adotado pelo Copom e na esteira do mau humor dos mercados no exterior, a Bolsa brasileira (B3) quebrou a sequência de cinco altas consecutivas, para fechar com queda de 1,67%, aos 106.291,24 pontos nesta quinta-feira, 9. No câmbio, a valorização do dólar no exterior também foi sentida por aqui, com a moeda fechando em alta de 0,70%, a R$ 5,5738.

Para Rodrigo Lima, analista da corretora Stake, especializada em investimentos no exterior, a Fogo de Chão voltará ao mercado em um momento melhor do que saiu, com dívidas mais equacionadas e um crescimento mais forte do Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização). “A empresa tem apresentado um crescimento do Ebitda de cerca de 17% ao ano desde 2016, então acredito que ela está em um momento melhor”, diz Lima.

Pandemia

A receita no Brasil é apenas uma fração pequena do total, somando US$ 8,7 milhões no mesmo período. Não à toa, desde março de 2020, a empresa cortou diversos colaboradores no País. Alegando falta de receitas por causa da pandemia, a empresa demitiu 255 funcionários sem negociar com o sindicato – o que fez ela ser alvo de uma ação do Ministério Público do Trabalho (MPT) do Rio de Janeiro anulando a decisão. Neste ano, no entanto, a Justiça do Trabalho de São Paulo autorizou a demissão coletiva.

“A empresa não conseguiu se reinventar durante a pandemia por causa do seu modelo de negócio focado no rodízio. Fica muito mais difícil fazer vendas por aplicativo”, diz Douglas Carvalho, sócio da empresa Target Advisor, especializada em fusões e aquisições. “Hoje, no Brasil, o negócio vale muito menos do que na época em que foi comprado.”

Banco do Brasil proporciona mutirão para a renegociação de dívidas; outros bancos também estão oferecendo descontos para quitar débitos

  Banco do Brasil proporciona mutirão para a renegociação de dívidas; outros bancos também estão oferecendo descontos para quitar débitos O Banco do Brasil iniciou uma campanha de mutirão para a renegociação de dívidas dos clientes disponível até o dia 17 de dezembro. Outros bancos estão promovendo condições especiais para renegociar débitos pendentes, como a Caixa Econômica Federal e Itaú. No caso do Banco do Brasil, o mutirão está possibilitando descontos de até 95% para o pagamento à vista dos débitos com prazos vencidos. O banco público também proporciona descontos nas taxas de juros e um período de até 100 meses para a renegociação. Essas condições são válidas para mais de 3,5 milhão de clientes, como pessoa física, pessoa jurídica e produtor rural.

Outro ponto que Lima chama a atenção é o fato de a empresa voltar ao mercado de capitais em um momento complicado, com uma possível quarta onda com a variante Ômicron, e também em meio a uma mudança de hábitos dos consumidores mais jovens.

Segundo ele, há uma maior preocupação com o tipo de alimento que se coloca no prato, e a carne vermelha tem perdido algum espaço. “O mercado penaliza esse tipo de negócio no momento, mas ainda está cedo para dizer se esse furor causado pela Ômicron vai continuar. O que me mais chama a atenção como risco é que os millennials estão buscando um cardápio plant-based (de origem vegetal)”, diz o analista.

Dificuldades na carne

  • Segunda vez na bolsa

A Fogo de Chão estreou na Bolsa dos EUA em 2015, mas em 2018 foi comprada pelo fundo Rhône Capital por US$ 560 milhões – que optou pelo fechamento do capital da companhia

  • Americana com sotaque

Apesar de ter nascido no Brasil e ainda utilizar a marca em português, assim como toda a comunicação ser baseada no “churrasco brasileiro”, a Fogo de Chão é uma empresa americana. O faturamento no Brasil representa cerca de 3% da receita anual da companhia, que preferiu focar a expansão nos Estados Unidos e no Oriente Médio

  • Quarta onda

Algo que preocupa analistas é o fato de uma quarta onda da covid-19, causada pela variante Ômicron, causar novos fechamentos, o que teria impacto direto em suas vendas

  • Millennials sem carne

A mudança de hábito dos consumidores jovens, mais preocupados com a saúde, também pode ser um obstáculo para a empresa

Dólar balança e Bolsa cai diante da maior inflação em 28 anos .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A inflação ditou a dinâmica dos mercados nesta semana. No Brasil, Bolsa e câmbio balançaram com investidores reagindo a uma alta de preços acima do esperado. No exterior, a escalada inflacionária potencializada pela guerra na Ucrânia levou a autoridade monetária dos Estados Unidos a dar sinais de que altas agressivas dos juros estão a caminho. Nesta sexta-feira (8), depois de uma abertura em alta, o dólar fechou em queda de 0,71%, valendo R$ 4,7070. Na máxima do dia, porém, a cotação chegou perto dos R$ 4,80. No acumulado da semana, a taxa de câmbio avançou 0,87%.

Ver também