TOP notícias

Mundo: Um recibo de arte ‘invisível’ de 1959 é vendido por R$ 5 milhões: “ancestral do NFT”

Vice boliviano diz ter superado a covid duas vezes com medicina ancestral

  Vice boliviano diz ter superado a covid duas vezes com medicina ancestral Papa cancela visita ao presépio da Praça de São Pedro

um bilhete de arte invisível é vendido em leilão por quase R$ 5 milhões. Foto: Divulgação/ Sotheby’s © Fornecido por Desejo Luxo um bilhete de arte invisível é vendido em leilão por quase R$ 5 milhões. Foto: Divulgação/ Sotheby’s

Em 1958, o artista Yves Klein abriu uma exposição chamada “The Void”, que o viu colocar um grande armário em uma sala vazia. Milhares de visitantes pagantes apareceram em uma galeria de Paris para não ver nada.

Após o sucesso da mostra, o artista francês levou a ideia um passo adiante – dando aos colecionadores a chance de comprar uma série de espaços inexistentes e inteiramente conceituais em troca de um peso de ouro puro, ou seja, uma arte invisível.

um bilhete de arte invisível é vendido em leilão por quase R$ 5 milhões. Foto: Divulgação/ Sotheby’s © Fornecido por Desejo Luxo um bilhete de arte invisível é vendido em leilão por quase R$ 5 milhões. Foto: Divulgação/ Sotheby’s

Um punhado de compradores aceitou a oferta. E na quarta-feira, quase 60 anos após a morte de Klein, um dos recibos que ele escreveu para provar a propriedade de suas obras de arte invisíveis foi vendido por mais de 1,06 milhão de euros (R$ 5,45 milhões) na casa de leilões Sotheby’s em Paris.

Não pode ser lido a olho nu: um dos menores livros do mundo é vendido por R$ 27 mil. Veja fotos!

  Não pode ser lido a olho nu: um dos menores livros do mundo é vendido por R$ 27 mil. Veja fotos! Um dos menores livros do mundo é vendido em leilão por € 4.200 (R$ 26.9 mil). Versão encadernada em couro da Oração do Senhor tem o tamanho da ponta de The post Não pode ser lido a olho nu: um dos menores livros do mundo é vendido por R$ 27 mil. Veja fotos! appeared first on Desejo Luxo | Consumo, grifes, moda, veículos, imóveis, viagens e experiências de luxo.

Medindo menos de 20 cm de largura, o recibo concede a propriedade de um dos espaços imaginários de Klein, que ele apelidou de “Zonas de Sensibilidade Pictórica Imaterial”. Projetado para se assemelhar a um cheque bancário, é assinado pelo artista e datado de 7 de dezembro de 1959.

O recibo foi originalmente dado ao negociante de antiguidades Jacques Kugel, e está entre um dos poucos que se acredita terem sobrevivido, disse a Sotheby’s em um comunicado à imprensa antes do leilão. Isso não ocorre simplesmente porque Klein se esforçou para vender muitas das obras imaginárias, mas porque ele ofereceu a seus clientes uma escolha: guardar o recibo ou queimá-lo em um ritual.

Veja também:
  • Cachorro-robô de R$ 350 mil será usado para proteger cidade de Pompeia de caçadores ilegais de relíquias
  • Camisa de Maradona do jogo ‘Mão de Deus’ está à venda e pode atingir R$ 25 milhões
  • NASA: poeira lunar raríssima coletada por Neil Armstrong em Apollo 11 está à venda

Caso optassem por este último, seriam considerados os “proprietários definitivos” da obra conceitual. Como parte da arte performática de Klein, ele então queimava o recibo na presença de testemunhas antes de despejar metade do ouro que recebeu no rio Sena.

Free Free lança NFT e expande sua atuação para outros países

  Free Free lança NFT e expande sua atuação para outros países Depois de impactar mais de 15 mil mulheres diretamente no Brasil, a Free Free está transbordando para a Europa e criando uma comunidade no metaverso []Em sua atuação com a Free Free, Yasmine trabalha ao lado do Ministério Público, faz parcerias com empresas e já chegou a impactar mais de 15 mil mulheres diretamente e 20 milhões de pessoas indiretamente. Agora, a Free Free está transbordando para fora do Brasil e anunciando outras novidades. “O Free Free virou um benchmark de sucesso e o próximo passo é levar o que a gente aprendeu no Brasil para outros locais. E, além disso, aprender com novos locais para levar para o Brasil”.

Kugel optou por manter o seu, e desde então foi exibido em grandes instituições de arte em toda a Europa, incluindo a Hayward Gallery de Londres e o Centre Pompidou em Paris. O item está sendo colocado à venda pelo consultor de arte e ex-proprietário da galeria Loïc Malle, que está oferecendo mais de 100 itens de sua coleção particular em leilão.

Veja também:
  • Ações do Twitter sobem mais de 21% após Elon Musk comprar 9% da empresa
  • Gucci organiza festa secreta para sua comunidade virtual e oferece NFT personalizado
  • O Mágico de Oz: lata de óleo do Homem de Lata é vendida em leilão por R$ 1,2 milhão

Em seu catálogo de leilões, a Sotheby’s comparou a ideia de Klein aos NFTs, escrevendo: “Alguns compararam a transferência de uma zona de sensibilidade e a invenção de recibos como um ancestral do NFT, que permite a troca de obras imateriais. que Klein manteve um registro dos sucessivos proprietários das ‘zonas’, é fácil encontrar aqui outro conceito revolucionário – o ‘blockchain’.”

2021: o ano em que o Brasil "descobriu" a arte indígena

  2021: o ano em que o Brasil Manifestações artísticas de representantes de povos originários estiveram presentes em alguns dos principais espaços culturais do país. Para especialistas, engajamento em causas ambientais é inerente à própria produção. © Bienal de SP/Karina Bacci/Divulgação Obras de artistas indígenas na Bienal de São Paulo Seja na Bienal de Arte de São Paulo, na Pinacoteca, no Sesc, na Flip, no Masp… Sob a ótica não indígena, pode-se dizer que nunca a arte feita pelos povos originários esteve tão em evidência como no Brasil de 2021.

A Sotheby’s confirmou antes da venda que o licitante vencedor não apenas “se tornaria o guardião desse recibo histórico, mas também da obra de arte invisível de Klein“.

Klein, que morreu em 1962, foi uma figura chave no movimento nouveau réalisme (novo realismo), que usava a arte para subverter as percepções da realidade dos espectadores. Em 1957, ele abriu uma exposição em Milão composta por 11 telas azuis, idênticas em forma, tonalidade e tamanho. Seu trabalho mais conhecido, no entanto, é a fotografia de 1960 “Leap into the Void”, que parecia mostrar o artista pulando de um muro alto, embora na verdade fosse uma composição de duas imagens separadas.

Fonte: CNN Style

Fique por dentro das novidades na nossa página no Facebook Desejo Luxo ou no nosso site www.desejoluxo.com.br

The post Um recibo de arte ‘invisível’ de 1959 é vendido por R$ 5 milhões: “ancestral do NFT” appeared first on Desejo Luxo | Consumo, grifes, moda, veículos, imóveis, viagens e experiências de luxo.

NFT: especialista Carlos Fareh pede união entre desenvolvedores de jogos e aponta para momento de 'separar o joio do trigo' .
NFT: especialista Carlos Fareh pede união entre desenvolvedores de jogos e aponta para momento de 'separar o joio do trigo'Neste primeiro semestre de 2022, parece que os valores deram uma estagnada, apesar da movimentação ainda estar na casa dos bilhões. De acordo com o investidor Carlos Fareh, isso já era previsto, mas não é nada que deva preocupar os interessados no novo setor. Ele explica que o momento atual está servindo para separar o joio do trigo.

Ver também